A família de Jesus

-Tema: FAMÍLIA


Lucas 2.4-7 e 12.21-24
-Introdução: Em muitas mensagens sobre família ouvimos orientações úteis sobre como conviver num lar segundo a vontade de Deus. Creio que quando Deus foi enviar seu Filho ao mundo pensou em um ambiente ideal para sua educação. José e Maria foram o casal escolhido pelo Senhor. Eram pessoas simples do povo, mas viviam de acordo com a vontade de Deus. Contudo, como seria sua vida diária? Qual era o cotidiano daquela família? Embora muitas vezes imaginemos algo extraordinário, na verdade o estilo de vida daquela família era muito comum para o tempo em questão.
O objetivo deste estudo é aprender como era a família de Jesus e mostrar como Deus pode usar uma família comum para cumprir seu proposito. Não havia nada especial naquela casa além da presença de Deus. Deste modo Jesus pode estar presente em sua família também.

Como era a vida familiar de Jesus?

Vamos aprender um pouco sobre a família de Jesus:

1- Dados Gerais

Algumas informações sobre o parentesco terreno de Jesus:

-Parentesco: Eram da família real de Davi (Marcos 12.35-37). Tanto Maria (Mateus 1.1-16) como José (Lucas 3.23-38) eram descendentes de Davi. Isto foi para se cumprir a promessa de que seria um filho de Davi a se assentar no trono eternamente (Isaías 9.5), a raiz de Jessé (Isaías 11.1). Era parente de João Batista, talvez primo de segundo grau (Lucas 1.36).

-Casamento: Maria e José se casaram e só tiveram vida conjugal após o nascimento de Jesus (Mateus 1.18-25) porque eram fiéis ao propósito de Deus para suas vidas.

-Filhos: Jesus foi o primogênito da casa de Maria e José (Lucas 2.7). Os irmãos de Jesus foram Tiago, José, Judas, Simão e pelo menos duas irmãs (Marcos 6.3 - outros textos que falam que Jesus tinha irmãos: Mateus 13.55; João 7.1-9 e 10-13; Atos 1.14; I Coríntios 15.7). Os discípulos Tiago e Judas, eram os irmãos de Jesus (Judas 1.1).

Jesus teve uma família comum, humanamente falando. Após esperar o nascimento de Jesus, José e Maria tiveram uma vida normal de marido e mulher, pai e mãe com filhos, trabalho e vida doméstica. Mesmo sendo de uma família nobre de sobrenome, eram pobres financeiramente falando (Lucas 2.24), mas Deus supriu suas necessidades financeiras para sustento de seu Filho através dos magos (Mateus 2.11).

2- Vida pessoal

Vejamos um pouco sobre a vida terrena de Jesus:

-Moradia: os lugares onde morou foram:
-Belém, onde nasceu: Lucas 2.13-15;
-Egito, durante a infância: Mateus 2.13-15;
-Nazaré, em sua juventude: Mateus 2.19-23;
-Cafarnaum, quando adulto: Mateus 4.12-17;
-Ministério itinerante: Marcos 1.38 e 39. Jesus caminhou pelas regiões da Judéia, Galiléia e Samaria, também em cidades romanas como Tiro e Sidom e a região de Decápolis (Marcos 7.31).

Os lugares onde Jesus morou foram estratégicos para sua formação. Em Belém se cumpriu a profecia de nascer na cidade de Davi (Miquéias 5.2). No Egito aprendeu sobre o sofrimento de seu povo como escravo. Em Nazaré se desenvolveu emocional e profissionalmente. Já em Cafarnaum, foi sei ponto de apoio para cumprir seu ministério até que deixou de ter moradia fixa para viver de maneira itinerante andando pelas terras de Israel.

-Formação: Jesus provavelmente teve algum acesso aos estudos, talvez através dos próprios pais em casa (João 7.15-17), pois sabia ler (Lucas 4.16 e 17) e escrever (João 8.8). Falava em aramaico que era a língua coloquial do povo, utilizava algumas palavras em grego, que era a língua comercial e tinha algum conhecimento do hebraico, língua litúrgica, principalmente para ler as Escrituras e participar do culto. Também foi um jovem interessado em aprender e buscava conhecimento (Lucas 2.46 e 47).

-Profissão: Como de costume, os filhos aprendiam a profissão dos pais e Jesus foi carpinteiro como seu pai José (Mateus 13.55). Provavelmente faziam arados, jugos, móveis, vigas para telhados de casas e peças comuns de madeira para a época. Quando Jesus se dedicou integralmente ao ministério da pregação, algumas mulheres lhe ajudavam com recursos para seu sustento (Lucas 8.2 e 3).

-Vida social: Jesus tinha várias amizades como os discípulos (Marcos 3.13-19), Simão, Lázaro, Maria e Marta (João 12. 1-3). Era conhecido e chamado de Rabi que significa Mestre (João 1.38), um título de respeito para pessoas influentes e líderes do povo. Isso mostra que Jesus tinha um comportamento de liderança por onde estivesse.

A vida pessoal de Jesus foi ao mesmo tempo comum e impressionante. Um jovem dedicado e trabalhador. Era educado e conquistava as pessoas com sua inteligência e simpatia.

3- Problemas familiares

Quem pensa que a família de Jesus não tinha problemas, engana-se, vamos ver um pouco sobre os conflitos de convivência:

-Responsabilidades: Jesus era um filho obediente e só deixou a casa de seus pais quando ficou de maior, com 30 anos (Lucas 3.23). Até então se dedicou à família trabalhando com seu pai e ajudando a mãe com seus irmãos. Depois dos trinta anos começou seu ministério e vida própria sem, contudo perder o contato com os familiares. Como primogênito tinha a obrigação de cuidar da mãe e irmãs, por isso, mesmo durante seu ministério manteve sua responsabilidade de ajudar a família e quando ainda estava na cruz transferiu seu compromisso para um discípulo cuidar de sua mãe em sua ausência terrena (João 19.26,27).

-Confiança: Alguns de seus parentes quando ouviram que estava expulsando demônios,
saíram para o prender; porque diziam: Está fora de si” pensando que es tivesse louco (Marcos 3.21). Certa vez seus irmãos e sua mãe foram buscar Jesus porque talvez estivesse a algum tempo fora de casa (Mateus 12.46,47). Alguns de seus irmãos incentivaram que fosse para a festa dos Tabernáculos em Jerusalém para mostrar suas obras, com intenção de expô-lo e provar se realmente tinha poder porque "nem mesmo os seus irmãos criam nele” (João 7.1-9). Entretanto, seus irmãos Judas e Tiago se tornaram seus discípulos e apóstolos (Judas 1.1).

Como qualquer família, o lar de Jesus também tinha obrigações e dificuldades de convivência. Jesus disse que a sua verdadeira família de Jesus é
qualquer que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, e minha irmã, e minha mãe” (Marcos 3.31-35). Com isso estava estendendo seu amor a seus discípulos e todos os que cressem em sua Palavra para serem considerados membros da Família de Deus.

Jesus quer fazer parte de sua família!

CONCLUSÃO

Aprender sobre a família de Jesus nos ajuda a entender que em nosso contexto familiar, podemos receber a presença de Deus. A casa de José e Maria era uma casa normal de uma família pobre, o único diferencial era a presença de Jesus. Do mesmo modo em sua casa, com suas dificuldades e desafios quem vai determinar a bênção é se Jesus vai estar presente com sua família.
Jesus viveu uma vida comum de maneira extraordinária. Enfrentou o frio, calor, fome, cansaço e perigos do dia a dia. A única coisa humana que Jesus nunca fez foi pecar (Hebreus 4.15). Foi um bom filho, bom estudante, bom profissional, amigo excelente e responsável em tudo.
Se a família em que Jesus viveu foi uma família normal, então Ele pode também fazer parte de sua família, porque "eis que estou à porta, e bato: se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo” (Apocalipse 3.20).
Deixe Jesus entrar em sua casa!

Tecnologia do Blogger.