Penitência

-Tema: PECADO
Salmos 51
-Introdução
PECADO ® PENITÊNCIA ® PERDÃO?
A penitência pode ser definida como um caminho entre o pecado e o perdão, ou uma forma da pessoa que cometeu o erro receber o perdão. O ato da penitência funciona como um mecanismo de defesa, um alívio para a pessoa sentir-se digna de ser perdoada ou pensar que fez alguma coisa para receber o perdão.
A penitência também é praticada para se receber uma bênção. Como um voto feito para alcançar um favor diante de Deus. Contudo a Bíblia exorta seriamente a não se precipitar com este tipo de promessas (ver Eclesiastes 5.1-7).
Há necessidade de fazer Penitências?
Vamos aprender um pouco sobre a Penitência na Bíblia:

-Ponto de vistaPara nós Evangélicos, não há necessidade de uma penitência para se receber a remissão de um erro ou conseguir uma bênção. Cremos que somos perdoados pela Misericórdia de Deus (Lamentações 3.22,23) e recebemos as bênçãos através da graça (favor imerecido) de Deus (João 1.16; Atos 15.11) quando cremos. O que temos a fazer quando estamos precisando de um perdão é arrepender, confessar e converter.
Obs: Não digo aqui que o penitente na sua fé não recebe a bênção ou perdão ou que não crê na graça e misericórdia de Deus.

PECADO®
ARREPENDIMENTO®
CONFISSÃO®
CONVERSÃO®
PERDÃO
Romanos 3
23 Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;
24 Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.
i
II Coríntios 7
10 Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte.

i
Provérbios 26
13 O que encobre as suas transgressões, nunca prosperará; mas o que a confessa e deixa, alcançará misericórdia.

i
Atos 3
19 Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor.

i
Isaías 43
25 Eu, eu mesmo, sou o que apaga as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados me não lembro.

i
Errar o alvo,
fazer a coisa errada
Desistir do que fez;
se entristecer pelo erro
Reconhecer o erro
diante do ofendido
Fazer o contrário; corrigir
Liberação da pena.

-Exemplo: Ver II Samuel 11.1-27 e 12.1-25.
O Rei Davi era um servo de Deus (escreveu Salmos), mas era homem e pecador como todos nós. Certa vez ele cobiçou uma mulher casada que se chamava Bete-seba e aproveitou que o marido dela, Urias, estava na guerra para se deitar com ela. Bete-seba engravidou e Davi mandou chamar Urias para casa no intuito de que não desconfiasse de traição ao saber da gravidez. Mas Urias não aceitou voltar para casa por lealdade à pátria e ao rei. Então o rei Davi mandou uma carta ao comandante da guerra, pelas mãos do próprio Urias dizendo para colocar este na frente da batalha em local perigoso para que venha a morrer. O soldado morreu e Davi se casou com Bete-seba. Ela ficou muito deprimida e ganhou a criança, mas esta morreu. Davi tentou consertar o erro com outros maiores ainda e teve que enfrentar as consequências, mas se arrependeu e se converteu a Deus confessando seus pecados de adultério, mentira, traição e assassinato.
Uma das mais belas orações da Bíblia é o Salmo 51 que traz uma confissão e de arrependimento de Davi pelos seus pecados de adultério, mentira, traição e assassinato.
Você não precisa pagar promessas!
-CONCLUSÃO: Na sociedade atual, raramente se vê alguém que tem coragem de admitir seus erros, seja diante de si mesmo, diante dos homens ou de DEUS. Voltar atrás é um confronto muito grande para o nosso Ego. Talvez reconhecer o erro seja o maior sacrifício e consertar o erro quando possível, o maior desafio. Contudo, há consequências do erro e mesmo após pedir perdão e voltar atrás no que fez é preciso enfrentar as consequências.
Não há necessidade de penitência para se receber perdão ou bênção, pois Deus tem prazer em seu amor para conosco e ouve nossas orações quando temos fé nele. O sacrifício de Jesus Cristo na cruz foi completo, dando liberdade a todo que crê de se achegar a Deus e receber dele graça e misericórdia. Deus é amor e não quer castigar ninguém, mas quer nos perdoar e abençoar-nos grandemente.

Pr. Welfany Nolasco Rodrigues Publicado por Pr. Welfany Nolasco Rodrigues

Pastor Metodista e pregador do evangelho. Escritor de esboços e sermões.
Formação: Bacharel em Teologia pela UMESP - Universidade Metodista de São Paulo.
Pós Graduação em Filosofia pela ISEIB - Instituto Superior de Educação Ibituruna.
Licenciatura em Letras pela ISEED - Instituto Educacional Elvira Dayrell.
Extensão em Grego Bíblico pela MACKENZIE - CPAJ.
Siga Google+.

2 comentários:

  1. Caro Sr,

    Esclareça para nós, por favor. Está aqui a refutar a necessidade e o valor da Penitência? É correto o meu entendimento?
    O sr crê que o cristão, porque foi redimido de seus pecados pelo Sangue de Cristo não precisa mostrar remorso? É isso?

    Se for isso, como o sr explica o que disse o Santo Apostolo Paulo:

    13. De fato, se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras da carne, vivereis, (Rom 8, 13)

    Definição de Mortificar:

    1 Castigar o corpo com penitencia para dominar as paixões
    2 Produzir dor, remorso

    Agora eu alegro-me de sofrer por vós, pois vou completando na minha carne o que falta aos sofrimentos de Cristo, a favor do seu corpo, que é a Igreja. (Col 1, 24)

    S. Paulo afirma alegra-se por sofrer pela Igreja porque sabia que completava na própria carne aquilo que faltava nos sofrimentos de Cristo. Isso, não quer dizer de forma alguma que o sofrimento de Cristo fora insuficiente, jamais! Mas sim, que cada membro, justamente porque está ligado à Cabeça, e é, portanto, parte do Corpo, sofre com ele e Cristo nele.

    Eis o que disse o protestante João Calvino sobre o tema:

    Como, portanto, Cristo padeceu uma vez em sua própria pessoa, então ele sofre diariamente em seus membros, e desta forma são preenchidos os sofrimentos que o Pai designou para seu corpo por seu decreto.

    A penitência e a mortificação, não são portanto, noções restritas à Velha Aliança e portanto, abandonada no Cristianismo. Isso é, na verdade, mais uma das muitas confusões do neo-evangelicalismo não denominacional, não-hierárquico do mundo protestante moderno.

    Pax Domini

    ResponderExcluir
  2. Penso que a Igreja Romana entende errado o conceito de Penitência. Penitência em seu sentido puro é o mesmo que Arrependimento, não tem nada a ver com confessar o pecado cometido a um "sacerdote" e fazer um "sacrifício" à fim de receber o Perdão de Deus por meio disso. A verdadeira Penitência é Arrepender-se do ou dos Pecados cometidos, confessá-los a Deus, pedir perdão crendo no Sacrifício Vicário e Santo de Cristo e abandonar a prática pecaminosa. Uma vez confessado o Pecado cometido, Deus outorga ao penitente (arrependido) o seu perdão por Graça através da Fé do penitente, Deus aplica os Méritos de Cristo ao penitente mediante o Verdadeiro arrependimento e Confissão do Pecado a Deus por parte do arrependido. Esse é o conceito de "Penitência encontrado na Bíblia, tanto que "impenitente" biblicamente falando é o ser humano de coração obstinado que não se arrepende. Esse também é o conceito defendido pelos Pais da Igreja. Então sempre que nos arrependemos de nossos pecados e os confessá-los a Deus, já estamos fazendo Penitência.Temos um Sumo Sacerdote no Céu, Cristo nosso Senhor e Salvador, e é a Ele que devemos confessar nossos pecados, é Ele quem faz Mediação em nosso favor diante de Deus Pai.

    ResponderExcluir

Deixe um comentário sobre o que achou desta pregação.
IDENTIFIQUE-SE por favor., colocando seu nome no comentário.
Muito obrigado por participar!

Quem sou eu

Minha foto

Tenho prazer em meditar na Palavra de Deus.
Escrevo textos e reflexões sobre as Escrituras.
Direitos autorais protegidos:
Protected by Copyscape Online Plagiarism Detector

Seguidores

Pregações por email

Livro

Livro
E-books do Pr. Welfany Nolasco
Powered by Blogger.