O Pai Celestial

-Tema: FAMÍLIA

“Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar”. Mateus 11.27

-Introdução: O relacionamento de Jesus com Deus é o melhor exemplo de relacionamento paternal. Muitas pessoas não conseguem ver a Deus como um Pai, porque não tiveram bons exemplos paternos.
Jesus manteve uma excelente convivência com José, seu pai terreno. Aprendeu a profissão de carpintaria com José (Marcos 6.3) e foi conhecido como “o filho do carpinteiro” (Mateus 13.55). Embora Jesus sempre soubesse que era Filho de Deus (Lucas 2.49), houve o momento em que Jesus se assumiu como o Messias e começou a falar de Deus como seu Pai.

Como Jesus se relacionava com Deus Pai?

Vamos meditar em alguns aspectos de Jesus com seu Pai Celestial:


1- O Pai abençoa o Filho

Mateus 3.17 “E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”.
Deus sempre manteve seu Filho Jesus certo de que teria sua bênção e companhia em todo o momento. Isso pode ser percebido em muitas situações em que Jesus tinha a confirmação de seu Pai Celestial mostrando o que deveria fazer.
A voz de Deus sempre lembrava Jesus que nunca estava sozinho: “Falava ele ainda, quando uma nuvem luminosa os envolveu; e eis, vindo da nuvem, uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a ele ouvi” (Mateus 17.5). Deus como Pai abençoou seu Filho Jesus, nos dando o exemplo de que como pais devemos ser abençoadores de nossos filhos, não somente com palavras, mas principalmente com um o exemplo que será útil para os filhos por toda a vida. Os pais devem ser canal da presença de Deus na vida de seus filhos.
Pai: exerça seu papel sacerdotal abençoando seus filhos!

2- O Filho obedece ao Pai

João 15.10 “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; assim como também eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço”.
Jesus obedeceu ao propósito de Deus e reconhecia que tudo o que tinha veio de Deus, pois “aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar” (Lucas 10.29). Além disso, Jesus sabia que tinham uma missão e que “este mandato recebi de meu Pai” (João 10.18). Por isso trabalhava o tempo todo em prol deste objetivo (João 5.17) testemunhando a respeito de Deus (João 10.25).
A obediência de Jesus foi sacrificial, ao ponto de entregar sua vida pela humanidade, “a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até a morte e morte de cruz” (Filipenses 2.8). Contudo fez isso tão somente porque foi a ordem de Deus. O Exemplo de Jesus como Filho de Deus serve para nós como filhos, também de Deus e dos nossos pais terrenos, que devemos obedecer até o fim (Efésios 6.2).
Filhos: obedeçam aos seus pais como Jesus ensinou!

3- Pai e Filho juntos

João 14.20 “Naquele dia, vós conhecereis que eu estou em meu Pai, e vós, em mim, e eu, em vós”.
A união entre o Pai e o Filho era tão intensa que quando “lhe perguntaram: Onde está teu Pai? Respondeu Jesus: Não me conheceis a mim nem a meu Pai; se conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai” (João 8.19). Jesus revelou a pessoa do Pai aqui na terra mostrando “que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser (Hebreus 1.3).
Jesus estava sempre em oração passando momentos preciosos junto com seu Pai Celestial. Tinha certeza de que esta era a melhor forma de se relacionar com Deus e que poderia pedir o que quisesse em oração (Mateus 26.53). Nas suas horas mais difíceis se dedicou mais ainda para estar em comunhão através da oração submetendo-se à vontade Divina (Mateus 26.39 e 42).
O intenso diálogo de Jesus com seu Pai celestial nos mostra que a comunicação é indispensável na relação entre pais e filhos. Quanto mais estiverem juntos e aproveitarem ao máximo o tempo que passam em família, mais sua comunhão se fortalece.
Pais e filhos: cultivem um relacionamento de comunhão!

Deus quer fazer parte de sua família!

-CONCLUSÃO: João 14.23 “Respondeu Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada”.
A parte de Deus no seu relacionamento paternal foi abençoar seu Filho Jesus, enquanto este deveria apenas obedecer ao Senhor e juntos estarem sempre em comunhão.
Como filhos de Deus, sabemos que o Senhor nos abençoa e que devemos ser obedientes a Deus. Também precisamos ter um relacionamento com o Senhor através da oração (João 14.13).
Quanto a nossos pais terrenos, precisamos aprender que o papel do pai é abençoar seus filhos e o papel dos filhos é obedecer aos pais. Juntos, pais e filhos devem cultivar um relacionamento de comunhão e amor a cada dia. O pai e o filho devem olhar um para o outro com amor e ambos fixar os olhos em Deus como seu Pai Celestial.

Pai e filhos têm papéis especiais na família!

______________________________
Citações Bíblicas: Bíblia Revista e Atualizada, Sociedade Bíblica do Brasil.


Pr. Welfany Nolasco Rodrigues Publicado por Pr. Welfany Nolasco Rodrigues

Pastor Metodista e pregador do evangelho. Escritor de esboços e sermões.
Formação: Bacharel em Teologia pela UMESP - Universidade Metodista de São Paulo.
Pós Graduação em Filosofia pela ISEIB - Instituto Superior de Educação Ibituruna.
Licenciatura em Letras pela ISEED - Instituto Educacional Elvira Dayrell.
Extensão em Grego Bíblico pela MACKENZIE - CPAJ.
Siga Google+.

Um comentário:

Deixe um comentário sobre o que achou desta pregação.
IDENTIFIQUE-SE por favor., colocando seu nome no comentário.
Muito obrigado por participar!

Quem sou eu

Minha foto

Tenho prazer em meditar na Palavra de Deus.
Escrevo textos e reflexões sobre as Escrituras.
Direitos autorais protegidos:
Protected by Copyscape Online Plagiarism Detector

Seguidores

Pregações por email

Livro

Livro
E-books do Pr. Welfany Nolasco
Powered by Blogger.