O Culto aos mortos

“a favor dos vivos se consultarão os mortos?” Isaías 8.19
Introdução: Qualquer prática que indique contato com pessoas que já morreram pode ser considerada culto aos mortos. Além disso, as rezas em favor de pessoas mortas ou tentativa de conversar com quem já morreu, são considerados pecados pelas Escrituras. Homenagens póstumas, como levar flores aos túmulos e a Missa de sétimo dia, também são formas de cultuar mortos.
Para saber mais sobre o assunto leia o estudo ESPIRITISMO À LUZ DA BÍBLIA.

O que é culto aos mortos?

Vamos estudar algumas características do culto aos mortos:


1- Não devemos consultar com os mortos:

Deuteronômio 18.10,11 “Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos”.
A prática de consultar os mortos já existia entre os povos vizinhos do povo de Deus. O Senhor considerou isso abominável e repreendeu ao povo para não fazer isso.
Levítico 20.27o homem ou mulher que sejam necromantes ou sejam feiticeiros serão mortos; serão apedrejados; o seu sangue cairá sobre eles”.
A penalidade para qualquer pessoa que consultasse mortos era se juntar a estes, ou seja, ser morto. Esta prática era chamada de necromancia (Levítico 19.31 e 20.6).
O rei Saul abandonou ao Senhor quando cometeu o pecado de ir consultar a feiticeira de Endor, pedindo que fizesse aparecer o espírito do profeta Samuel, que já havia morrido. A feiticeira foi movida por espíritos malignos enganadores (I Timóteo 4.1), também mentiu dizendo que estava vendo o que a pessoa pediu (I Samuel 28.8), além de usar de esperteza, pois percebeu ser uma emboscada do rei Saul (I Samuel 28.9). Deus condenou Saul por ter procurado a necromante (I Crônicas 10.13).
Não tente consultar os mortos!

2- Não podemos fazer nada pelos mortos:

Levítico 19.28 “Pelos mortos não ferireis a vossa carne; nem fareis marca nenhuma sobre vós. Eu sou o SENHOR”.
Entre os povos pagão existia o costume de se ferir em homenagem aos mortos, ou como um ato de tristeza quando um ente querido falecia. Também já existiam espécies de tatuagens, que eram marcas com fogo ou pinturas feitas para homenagear pessoas que já morreram. Estas práticas associadas a necromancia também foram condenadas por Deus.
Outra prática em homenagem aos mortos, já no tempo do Novo Testamento era o batismo pelos mortos: “doutra maneira, que farão os que se batizam por causa dos mortos?” (I Coríntios 15.29). Com este ato, alguém se batizava representando outra pessoa que já morreu. Neste versículo, o apóstolo Paulo não defende esta prática que pode ser recusada com base na Palavra de Deus. Ninguém pode promover a salvação para outra pessoa que já morreu.
Hebreus 9.27 “E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo”.
Após a morte da pessoa, a única coisa que lhe aguarda é o Juízo final. Se a pessoa se converteu a Jesus então recebe a salvação (João 5.24) e aguarda a ressurreição dos mortos (João 5.28). Já quem não acreditou em Jesus aguarda juízo final (João 5.29).
Não há nada que se possa fazer pelos mortos!

3- Os mortos não podem se comunicar com os vivos:

Eclesiastes 9.5,6 “Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, porque a sua memória jaz no esquecimento”.
Um grande engano é pensar que os mortos podem se comunicar com os vivos, porque “para sempre não têm eles parte em coisa alguma do que se faz debaixo do sol (Eclesiastes 9.6). Satanás se transfigura como se fosse anjo de luz, para enganar (II Coríntios 11.14). Portanto quando aparece uma pessoa morta, na verdade é o diabo imitando e iludindo com suas mentiras.
Os mortos não conseguem mandar mensagens para os vivos. Isso é mentira do diabo. Tudo que uma pessoa puder fazer deve ser enquanto estiver viva, pois depois que morrer não poderá fazer mais nada (Eclesiastes 9.10). Os mortos também não podem nos abençoar (Salmos 115.17) nem mesmo interceder por nós (I Timóteo 2.5).
Jesus contou a parábola sobre o rico e o mendigo Lázaro que morreram mostrando que os mortos não podem se comunicar com os vivos porque “está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que querem passar daqui para vós outros não podem, nem os de lá passar para nós” (Lucas 16.26). Deus é quem colocou este limite que impossibilita a comunicação entre vivos e mortos.
Não há nada que os mortos possam fazer pelos vivos!

Não cultue os mortos!

-CONCLUSÃO: Mateus 22.32 “Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó? Ele não é Deus de mortos, e sim de vivos”.
A fé cristã ensina a única forma de haver vida após a morte é a ressurreição dos mortos, que um dia reviverão em seus próprios corpos restaurados para a salvação eterna ou então para serem julgados (Apocalipse 20.1-6). Qualquer outro tipo de ensino que mostre a comunicação entre vivos e mortos é baseada em mentiras de demônios.

Os mortos não devem ser cultuados!

______________________________
Citações Bíblicas: Bíblia Revista e Atualizada, Sociedade Bíblica do Brasil.

Pr. Welfany Nolasco Rodrigues Publicado por Pr. Welfany Nolasco Rodrigues

Pastor Metodista e pregador do evangelho. Escritor de esboços e sermões. Formação: Bacharel em Teologia pela UMESP - Universidade Metodsita de São Paulo. Pós Graduação em Filosofia pela ISEIB - Instituto Superior de Educação Ibituruna.
Siga Google+.

Um comentário:

Deixe um comentário sobre o que achou desta pregação.
IDENTIFIQUE-SE por favor., colocando seu nome no comentário.
Muito obrigado por participar!

Quem sou eu

Minha foto

Tenho prazer em meditar na Palavra de Deus.
Escrevo textos e reflexões sobre as Escrituras.
Direitos autorais protegidos:
Protected by Copyscape Online Plagiarism Detector

Seguidores

Pregações por email

Livro

Livro
E-books do Pr. Welfany Nolasco
Powered by Blogger.