1

Três jovens na cruz

-Tema: JUVENTUDE
Lucas 23.39-43
-Introdução: Jesus tinha 33 anos quando foi crucificado (Lucas 3.23), portanto era um jovem. Os dois malfeitores ao seu lado provavelmente também eram jovens como Jesus. Naquele tempo a expectativa de vida que era muito baixa¹, principalmente entre os homens devido a guerras, doenças e o alto índice de violência.
Esta cena dos três jovens pendurados nas suas cruzes nos ensina muito sobre a juventude. A conversa entre eles nos revela coisas que se passam em ‘papo de jovem’. O certo é que estavam na cruz e cada um tinha o seu motivo para estar ali. Tantos jovens hoje também estão sendo crucificados pela violência, drogas, suicídio e acidentes de trânsito levando-os a morte precoce entre 15 e 24 anos². No Brasil “32 jovens de até 19 anos são assassinados todos os dias”3.
Jovem, você está levando a sua cruz?
Vamos meditar sobre as três cruzes destes jovens:
0

Não deixe sua casa cair

-Tema: FAMÍLIA
Mateus 7.24-27
-Introdução: A expressão popular ‘um dia a casa cai’ se refere a situações em que algo começou errado e certamente terminará pior ainda. Infelizmente muitas casas estão em ruínas não em suas paredes, mas seu conteúdo principal que é o amor. O relacionamento pode ser comparado com a manutenção de uma casa que precisa sempre estar em dia para não deixar acumular problemas que podem ser irreversíveis.
Jesus falou de dois homens que fizeram suas casas normalmente com a única diferença em sua base. Um construiu sobre a pedra e outro sobre a rocha. A diferença entre eles foi ainda maior quando veio uma tempestade sobre as duas casas e a que foi erguida sobre a areia desabou enquanto a que estava sobre a rocha permaneceu intacta.
Sua casa está caindo?
Vamos refletir sobre quatro fatos que sustentam a família comparando com quatro colunas de uma edificação:
0

O cuidado de Deus

-Tema: MOTIVACIONAL
Êxodo 14.14-31
-Introdução: Você já ouviu alguém dizer: ‘faça a sua parte e eu te ajudarei’ como se fosse um versículo bíblico? Infelizmente esta frase não é bíblica, mas também não contradiz a Palavra de Deus. Talvez você já tenha pensado: “mas eu faço tudo certo, porque as coisas dão errado?” e com isso podemos refletir que muitas vezes Deus está tentando nos ajudar e nós é que atrapalhamos ‘passando o carro na frente dos bois.
O povo de Deus estava iniciando uma longa caminhada pelo deserto rumo à terra de Canaã. Haviam presenciado dez pragas no Egito e foram livrados de todas elas. Mesmo assim era um povo difícil e desobediente. Deus queria os abençoar e muitas vezes eles mesmos atrapalhavam o agir de Deus.
Muitas vezes nossa caminhada está difícil, mas não é culpa de Deus e sim nossa.
Como você tem caminhado?
Vamos refletir o que devemos fazer e o que Deus faz:
2

Proteja sua família

-Tema: FAMÍLIA
 “Quando edificares uma casa nova, far-lhe-ás, no terraço, um parapeito, para que nela não ponhas culpa de sangue, se alguém de algum modo cair dela”.
Deuteronômio 22.8
-Introdução: A segurança é uma das grandes preocupações em todas as casas, que a cada dia estão mais fechadas, bem cercadas e equipadas com recursos de proteção. Mas isso não é suficiente, pois dependemos também do cuidado de Deus (Salmo 127.1). Muitas residências são bem trancadas, mas o inimigo entra de outra forma roubando a paz, matando a alegria e destruindo o amor no lar.
Dentre todas as ordenanças da lei, o texto de Deuteronômio 22.8 demonstra uma preocupação com a segurança da casa, especialmente no terraço, que devia ter um muro para evitar alguma queda. De forma semelhante precisamos nos preocupar com detalhes para a segurança de nossa família.
Como proteger minha família?

Vamos refletir sobre alguns exemplos de pessoas que protegeram suas famílias em meio ao perigo:
0

Erros de um jovem casal

-Tema: NAMORO    
Provérbios 7.6-27
-Introdução: Todas as pessoas são passíveis de erros. Quando duas vidas se unem, sua capacidade de acertar deve aumentar e não diminuir (Eclesiastes 4.9-12). Mas infelizmente o que acontece é que um coloca sua expectativa no outro se esquecendo de que são falhos. O resultado é frustrante. Até mesmo os casais que aparentemente começam bem, no decorrer do tempo cometem erros e terminam mal. Aqueles que já começam errados têm muito mais dificuldade de acertar depois e consequentemente acabam pior ainda.
O texto de Provérbios 7 conta a história de um jovem casal que cometeu vários erros e à luz desta mensagem podemos aprender alguns erros que precisam ser evitados para um relacionamento amoroso bem sucedido.
Que erros evitar no relacionamento?

Vamos refletir sobre alguns erros cometidos pelo casal em conjunto e depois pelo homem e a mulher individualmente ou em relação ao outro:
7

Jesus transforma a sua história

-Tema: CONVERSÃO
Atos 1.6-11
-Introdução: Muitas vezes não percebemos o tempo em que estamos vivendo. O ser humano é limitado ao espaço e ao tempo. Por isso muitas vezes pensamos: ‘ah, se eu soubesse’ ou ‘ah, se eu pudesse voltar atrás’. Mas a oportunidade que passou não voltará e o que vivemos hoje precisa ser aproveitado (Efésios 5.16).
Deus é o Senhor do tempo. O Eterno é atemporal porque não está sujeito ao tempo humano (II Pedro 3.8). O único que está acima das épocas, gerações e milênios, também é o único que pode mudar a história. A vinda de Jesus ao mundo dividiu a história em antes e depois de Cristo. Isso porque Ele é o único que pode transformar a história da humanidade.
Você precisa de mais uma chance?
Reflita sobre o poder transformador de Jesus sobre a sua história:
5

Os três pregos da cruz

-Tema: VIDA CRISTÃ
Marcos 8.34-38
-Introdução: Presume-se que na crucificação foram usados três pregos: um para cada mão e outro nos dois pés apoiados um sobre o outro. Por isso vamos usar estes três pregos como ilustração para falar sobre esta crucificação do eu (Gálatas 2.20).
A doutrina da cruz é o Evangelho. Embora pareça algo vergonhoso (v.38) diante dos homens e uma loucura que só pode ser entendida espiritualmente (I Coríntios 1.18). Precisamos ‘pregar’ mais sobre a cruz, mas para isso estamos expostos a estes ‘pregos’ que nos ferem e nos seguram pendurados na cruz.
O que está te crucificando?
Vamos refletir sobre os três ‘pregos’ que nos prendem à cruz: