0

A vontade de Jesus

-Tema: VIDA CRISTÃ
“Disse-lhes Jesus: A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra”.
João 4.34
-Introdução: O maior exemplo de vida segundo a vontade de Deus está em Jesus Cristo. A vontade de Deus e a de Jesus são a mesma coisa. Por isso o Mestre disse que seu sustento é cumprir os planos de Deus. Tudo que Jesus fez foi para cumprir o propósito de Deus e nos ensinar como viver segundo a vontade do Senhor.
A vontade humana é passageira e nem sempre é o melhor, mas a vontade de Deus é “boa, agradável e perfeita” (Romanos 12.2). Por isso precisamos conhecer a vontade de Deus para nossas vidas.
Você conhece a vontade de Deus para sua vida?
Vamos estudar no evangelho de João onde Jesus usa a Palavra ‘vontade’, explicando qual é o plano de Deus para nossas vidas:
0

Os nomes de Deus

Êxodo 20.7
Introdução: Devido ao mandamento da lei citado no texto, o povo de Israel tinha uma imensa reverência com o nome do Senhor. Tomavam todo o cuidado ao pronunciar o nome de Deus porque Seu nome é santo.
  O que é falar o nome de Deus em vão?
  Talvez seria dizer à toa, irrefletidamente (como: ai meu Deus!) ou em piadinhas.
  Em contrapartida a esse respeito todo com o nome de Deus, também achavam que um só nome não seria o suficiente para expressar a “multiforme graça de Deus”. Então de acordo com a situação que viviam expressavam um nome de Deus que declarava o poder de Deus para resolver seus problemas, juntamente com sua fé na capacidade Divina.
  Em diversos momentos da história de Israel quando Deus os livrava eles associavam a sua necessidade ao nome Divino (EL ou JEOVÁ) expressando sua fé no Senhor.
       Os nomes de Deus nos mostram os atributos da personalidade Divina e nos levam a compreender melhor quem é o nosso Deus. Estudamos muito a palavra de Deus, a história do povo de Deus, Suas promessas e mandamentos e muitas vezes esquecemos que precisamos conhecer mais do próprio Deus.
OBSERVAÇÕES:
a) Como a língua hebraica é muito diferente da portuguesa e de difícil tradução para esta, você poderá encontrar grafias e pronúncias diferentes das que apresentaremos aqui. Por exemplo o nome Jeová no original se diz IERROVÁH ou IHAVEH, também de forma simplificada: Javé ou Jah. Comumente se encontra no lugar de V um W e um H depois da última vogal. O importante aqui é o significado!
b) Este estudo não apresenta novidades espirituais ou místicas como por exemplo uma fórmula de orações utilizando estes nomes (embora isso possa ser feito). O grande acréscimo deste estudo é o conhecimento de Deus, como se revelava ao seu povo e como este povo o invocava. Nossa prática cristã é neotestementária. A ‘receita’ ensinada por Jesus para a oração é orar ao Pai em nome do Filho e sob a intercessão do Espírito Santo (João 16.8-11; 23 e 24).
c) Não é necessário chamar a Deus por estes nomes como ensinam algumas seitas. Estes nomes estão muitos ligados à cultura judaica.
Vejamos 20 nomes de Deus utilizados no Antigo Testamento:
0

Não deixe a luz apagar

-Tema: VIDA CRISTÃ
“antes que a lâmpada de Deus se apagasse”.
I Samuel 3.1-10
-Introdução: O fogo não poderia se apagar sobre o altar, nem a lâmpada apaga-se dentro da Casa de Deus. Um sacerdote tinha duas tarefas diárias que não podiam ser esquecidas: manter aceso o fogo sobre o altar (Levítico 6.12,13) e as lâmpadas do candelabro sempre acessas dentro da tenda durante todo o dia para ministração (Êxodo 27.20,21). A luz não podia ser apagada em momento algum.
O sacerdote Eli estava cego fisicamente (v.2) e espiritualmente estava fraco na fé (v.12-14). Deixou de ascender a lâmpada do Senhor todos os dias. Por causa disso o povo ficou em trevas.
O que fazer antes que a lâmpada se apague?
Através do exemplo de Samuel aprendemos algumas coisas que precisamos fazer antes que a luz se apague: 
1

Dando nome aos pecados

-Tema: PECADO
“O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia”.
Provérbios 28.13
-Introdução: Quando confessamos os nossos pecados, precisamos reconhecer exatamente o que fizemos. Como alguém que precisa identificar o lugar onde caiu para não repetir o mesmo erro. Uma das primeiras tarefas que Deus deu ao homem foi de dar nome às coisas que o Senhor criou (Gênesis 2.19).
Em sua oração de confissão, fale com Deus o que aconteceu, o que você fez. Não podemos orar apenas ‘por atacado’ pedindo ao Senhor que perdoe ‘todos’ os nossos pecados. Uma pessoa arrependida, confessa aquilo que fez.
Qual o nome do seu pecado?
Vamos refletir sobre uma lista de pecados, seus significados e referências bíblicas a respeito:
1

A verdade sobre o pecado

-Tema: PECADO
“Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça”. Isaías 59.2
-Introdução: O que é o pecado? Pecado é tudo o que separa a pessoa de Deus. A incredulidade desviou o ser humano do verdadeiro Deus para um ‘deus’ falso (si mesmo). 
   O primeiro pecado consiste em querer ser igual a Deus e ir além do que ele permitiu, desobedecendo a sua vontade segundo Gênesis 3.1-13.
Existem três forças que lutam para nos fazer pecar:
    -CARNE: nossa tendência pecaminosa e falha;
    -MUNDO: circunstâncias que nos levam ao pecado;
    -DIABO: influência maligna do inimigo de nossas almas.
Como vencer o pecado?
Vamos refletir algumas verdades sobre o pecado:
1

Os inimigos da Cruz

-Tema: VIDA CRISTÃ
“Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo”.
Filipenses 3.18
-Introdução: Um cristianismo sem cruz não é cristão. Jesus não evitou a cruz nem tentou amenizar o seu sofrimento. Cristo enfrentou até o fim a dura crucificação. Como cristãos precisamos fazer como diz o hino “levarei eu também minha cruz”.
Jesus disse que “se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me” (Mateus 16.24). Então para ser cristão é necessário crucificar-se com Cristo porque “os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências” (Gálatas 5.24). Todo e qualquer ensinamento que nega este princípio não é cristão. Por isso Jesus repreendeu Satanás quando através de Pedro intentou que Jesus não passasse pela cruz (Marcos 8.33).
Quem são os inimigos da cruz?
Vamos aprender sobre algumas coisas que são opostas à doutrina da cruz:
0

O clamor da multidão

-Tema: CONVERSÃO
“Asseguro-vos que, se eles se calarem, 
as próprias pedras clamarão”.
Lucas 19.40
-Introdução: A sociedade tem a tendência de agir coletivamente através da ação da massa. Os romanos usavam uma estratégia para influenciar o povo distribuindo alimento e fazendo espetáculos chamados de ‘pão e circo’.  Esta massificação dos comportamentos sociais faz que as pessoas muitas vezes entrem no coro da multidão sem saber o que realmente estão gritando.
Jesus foi aclamado pelo povo ao entrar em Jerusalém. Os fariseus mandaram que parassem. Mas o Senhor deixou claro que não poderiam silenciar o povo. Os mesmos fariseus usaram o uma turba para determinar o julgamento de Jesus. Deste modo a mesma multidão que um dia louvou, pouco depois condenou.
O que você tem clamado?
Vamos meditar sobre alguns ‘brados’ da multidão a respeito de Jesus: