0

Chamado e Capacitado por Deus

-Tema: MISSÃO
Juízes 6.11-24 e 36-40
-Introdução: Podemos notar que vários servos de Deus estavam trabalhando quando foram chamados por Deus. Por exemplo: Abrão deixou sua terra; Moisés deixou o seu rebanho quando viu a sarça ardendo; Eliseu estava lavrando com 12 juntas de bois; André e Simão estavam pescando e Levi trabalhando na coletoria.
Gideão estava malhando o trigo escondido com medo dos ladrões de colheita quando Deus falou com ele que tinha um propósito para sua vida.
Como você foi chamado por Deus?
Vamos refletir dois aspectos importantes do chamado:
0

O que você precisa?

 -Tema: VIDA CRISTÃ
João 4.5-29
-Introdução: As pessoas vivem em função de suprir suas necessidades. O mundo moderno está sempre criando novas necessidades para conquistar consumidores. Mas Deus sabe realmente o que necessitamos muito mais do que nós mesmos e nos abençoa não segundo o que pedimos, mas vai além (Efésios 2.21).
No encontro de Jesus com a mulher samaritana, percebemos uma busca por necessidades em cada personagem do texto. Para cada necessidade humana, Deus tem uma forma superior de nos suprir.
O que você está precisando?
Vamos refletir sobre as necessidades do ser humano à luz do que o texto nos ensina:
0

Lugares de Bênção

-Tema: MOTIVACIONAL  
Salmos 23
-Introdução: Qualquer lugar é abençoado com a presença de Deus. Mesmo assim o Senhor reserva lugares especiais para abençoar nossas vidas. Como um pastor que guia seu rebanho escolhendo as melhores passagens, assim o Senhor guia nossas vidas.
Você é uma ovelha?
Este texto revela alguns locais e situações especiais que Deus prepara para nós:
1

Vencendo a Injustiça

-Tema: MOTIVACIONAL
Salmos 12
-Introdução: Sofrer injustiça é uma das coisas mais dolorosas de se enfrentar. O sentimento de indignação e revolta toma conta de quem é alvo de injustiças. A oração é a melhor forma de desabafar diante do maior de todos os amigos que é Deus (Filipenses 4.6).
Este salmo é um texto de lamentação que era cantado em cultos do povo de Deus. O salmista lamenta pela situação que está ao seu redor e recorre a Deus em oração. Em momentos difíceis, era uma forma de clamor pela justiça de Deus.
Você está sendo injustiçado?
O interessante neste salmo é a presença de três vozes falando:
0

Doses de Graça

-Tema: GRAÇA
“todos nós temos recebido da sua plenitude 
e graça sobre graça” João 1.16
-Introdução: A Graça de Deus é o favor imerecido, bênção recebida sem qualquer pagamento. Jesus pagou tudo por nós para que nós recebêssemos de graça, mas para Ele custou muito caro, o preço foi a Sua própria vida.
Quando o texto acima se refere a “graça sobre graça” parece demonstrar que a Graça de Deus é tão grande que se torna imensurável ao ponto de ser liberada sobre nós em doses gradativas até que sejamos totalmente cobertos por ela.
Você conhece a Graça de Deus?
Vejamos comparar com 3 estágios de um tratamento e refletir sobre a GRAÇA de Deus:



 1- Graça Preventiva: Romanos 5.20
Como uma vitamina que fortalece e evita doenças, a Graça Preventiva ou Preveniente é quando Deus nos ama mesmo sem sabermos ou merecermos. O amor de Deus vem antes de tudo. A essência de Deus é seu amor e sua Graça (I João 5.8). Deus no ama mesmo quando nos esquecemos Dele e nos envolve com sua maravilhosa graça para nos dar arrependimento. Antes mesmo de pensarmos em Deus Ele já está pensando em como salvar nossas vidas.
Quando estávamos no mundo pensando que vivíamos longe de Deus, lá mesmo o Senhor por sua infinita Graça nos seguia (Romanos 6.14) até o momento em que o Espírito Santo conseguiu nos convencer deste tão grande amor (João 16.8-11).
Deus te ama antes de tudo!
                              
2- Graça Purificadora: Tito 2.11 e 3.7
Como um remédio ou curativo que traz alívio à dor, a Graça Purificadora ou Justificadora é quando recebemos o perdão dos pecados. Este é o momento em que conhecemos o amor de Deus. A experiência do Novo Nascimento nos traz uma nova vida (II Coríntios 5.17) quando somos purificados pela Graça de Deus. Quando temos um primeiro encontro com Jesus, conhecemos o amor de Deus e experimentamos a salvação pela graça (Efésios 2.8).
Muitas pessoas não entendem como uma pessoa tão pecadora pode ter uma segunda chance e viver como se tudo tivesse mudado facilmente. Quem pensa assim é porque não conhece ainda o poder da Graça de Deus em renovar suas vidas lavando com o sangue de Jesus que é capaz de renovar todas as coisas (Apocalipse 22.14).
O amor de Deus perdoa seus pecados!

3- Graça Santificadora: I Pedro 5.10
Como uma vacina que imuniza contra um vírus, a Graça Santificadora é quando depois de salvos, Deus nos assiste e nos ajuda na luta contra o pecado. Somente pela Graça podemos permanecer em Deus e não voltar atrás na vida de pecado e perdição. A cada dia o Espírito Santo continua esta obra em nossos corações nos trazendo arrependimento e mudança de vida (II Coríntios 4.15).
Não devemos receber a graça de Deus em vão (II Coríntios 6.1-3) por isso devemos anunciar esta tão grande salvação trabalhando na obra de Deus e levando mensagem da graça a outras pessoas (Mateus 10.8). O fato de servimos na obra de Deus demonstra saúde espiritual, ou seja, que estamos prontos para obedecer ao Senhor.
Pela Graça você pode vencer o pecado!
Viva pela Graça!
-CONCLUSÃO:
João Wesley foi um grande avivalista do século XVII. Antes era apenas um religioso, mas sua vida mudou quando conheceu a Graça de Deus. Então começou a pregar baseado nesta doutrina, ensinando como se manifesta sobre a humanidade. O resultado foi a transformação de milhares de vidas.
A Graça de Deus age de formas diferentes em cada pessoa de acordo com sua necessidade (I Pedro 4.15). A Graça Preventiva te previne contra o pecado como as vitaminas protegem seu corpo. A Graça Purificadora te cura do pecado como um remédio que sara uma doença. A Graça Santificadora te liberta do pecado como uma vacina que imuniza o organismo contra um vírus. Seja qual for o estágio que estiver vivendo na luta contra a doença chamada pecado, a Graça sempre será o suficiente (II Coríntios 12.9).
Tome uma injeção de Graça!

3

A Fé é um Milagre

-Tema: FÉ
Marcos 11.22-24
-Introdução: Enquanto Jesus estava com os discípulos, sempre que viam algum necessitado, chamavam o Mestre ou conduziam a pessoa até ao Senhor. Jesus estava dizendo para os discípulos que morreria, ressuscitaria e subiria para os céus enviando o seu Espírito para estar com eles. Então surgiu uma dúvida: o que faremos quando precisarmos do Senhor? Foi então que Jesus ensinou sobre o maior de todos os milagres: a fé.
Você tem fé?
Vamos aprender a receita de Jesus para exercer a fé:


1- A Fé produz Confiança: v.22 “tende em Deus”
A fé não tem medo, pois o medo se baseia na dúvida, mas “a fé é a certeza de coisas que se esperam e a convicção de fatos que não se veem” (Hebreus 11.1). Esta é uma certeza incondicional. Não cremos porque vimos ou impomos condições e sim porque simplesmente confiamos. A fé não precisa ter lógica ou explicação. Você nem precisa ver para acreditar (II Coríntios 5.7).
Jesus é o “autor e consumador da nossa fé” (Hebreus 12.2), por isso os discípulos lhe pediram “aumenta-nos a fé” (Lucas 17.5). Sabemos que podemos acrescentar nossa fé através da Palavra de Deus porque “a fé vem pelo ouvir a pregação” (Romanos 10.17).
Diante do impossível, a fé prefere correr o risco a perder a chance de vencer.
O maior milagre acontece quando cremos!
                              
2- A Fé declara o Milagre: v.23 “qualquer que disser ... mas crer que se fará aquilo que diz...”
Quando Jesus era procurado por um enfermo, embora fosse notável a sua necessidade, o Senhor sempre perguntava: “o que queres que eu te faça?” (Marcos 10.51; Lucas 18.41), então ouvia o pedido da pessoa e a curava dizendo “a tua fé te salvou” (Lucas 7.50; 8.48; 17.19; 18.42).
Deus sabe de todas as coisas, antes mesmo de falarmos (Salmos 19.4), conhece tudo o que precisamos () e mesmo assim quer ouvir de nós a expressão de nossa fé por palavras. Não basta apenas acreditar se não expressarmos nossa fé. Deus está atento a nossos pedidos para remover os ‘montes’ de diante de nós.
Declare sua fé e receba o milagre!

3- A Fé não tem Limites: v.24 tudo quanto pedirdes em oração, crede que recebestes e assim será convosco”
Deus nos garante que atenderá não apenas algumas coisas, mas a tudo que pedirmos com fé. Quando oramos é porque já acreditamos. A própria oração é fruto da fé. Se acreditarmos que Deus existe, então conversamos com Ele.
Diante das dificuldades é que a fé se torna mais forte. Cada experiência que enfrentamos é uma oportunidade para exercitar a fé e conhecer o seu poder infinito. Por exemplo, para conhecermos o poder da cura, precisamos passar pela enfermidade e através da fé ser curados. Não há nada difícil para a fé e quanto mais impossível maior será o tamanho do milagre. A fé é uma fonte inesgotável de possibilidades.
O limite da fé é a concretização do que oramos!

Nunca duvide, mas creia!
-CONCLUSÃO:
Não existe ciência capaz de explicar a fé, porque ela é inexplicável. Quando você acredita nada pode te impedir, mas para o incrédulo nenhum argumento é capaz de convencer. Por isso precisamos alimentar a nossa fé para ter mais confiança em Deus, além de declarar o que acreditamos até que todos os limites sejam rompidos pelo poder infinito da fé.
A fé nunca vai te decepcionar!
2

O aviso do Atalaia

-Tema: MISSÃO
Ezequiel 3.17-21 e 33.2-9
-Introdução: Atalaia é um vigilante e sua função é vigiar e avisar do perigo. A sua responsabilidade é muito grande e não pode dormir. Deve ficar de sentinela e a qualquer sinal de perigo se põe em alerta tomando as devidas providências.  Neste contexto Ezequiel estava cativo na Babilônia e naquele tempo as cidades tinham muralhas com torres onde fitavam os seus vigias, chamados de atalaias.
Os atalaias geralmente moravam em casas anexas aos muros da cidade, trabalhavam em turnos e vigiavam dia e noite. Quando via qualquer sinal de perigo ou movimento estranho, ficava atento e assim que percebia ser um inimigo, o atalaia tocava a trombeta e anunciava o perigo para que se fechassem as portas da cidade e o povo se armasse se colocando em posição de ataque. 


Deus chamou Ezequiel de atalaia porque era um profeta. Como cristãos também somos atalaias porque estamos sobre urna torre forte que é o Senhor (Provérbios 18.10) e temos que vigiar o tempo todo (Mateus 24.42) para anunciar ao mundo que o inimigo se aproxima e declarar guerra contra o pecado. 
Você se mantém vigilante?
Vejamos então alguns pontos sobre o atalaia:

1- Os OUVIDOS do Atalaia
O atalaia ouve a voz de Deus. Sua obrigação é anunciar o perigo porque está num lugar alto e de privilégio, mas não tem que falar de algo que não viu nem ouviu. 
Devemos falar o que o Senhor nos mostrou ou falou: 
Ezequiel 3.16b “Veio a mim a Palavra do Senhor dizendo”
Ezequiel 3.22b “e Ele me disse”
Ezequiel 3.27 “Quando eu falar contigo”
Ezequiel 33.7 “Ouvirás a Palavra da minha boca” 
Deus fala com o seu atalaia para que ele tenha o que dizer, orientando o povo quanto ao perigo. 
Ezequiel 3.22b “Levanta-te sai ao vale e eis que ali eu falarei contigo”
Ezequiel 3.23a “Então me levantei e sai ao vale e eis que a glória do Senhor estava ali”
Ezequiel 3.24a “Então entrou em mim o Espírito e me pés em pé; e falou comigo” 
Quando Ezequiel foi ao local em que Deus marcou com ele, Deus já estava à sua espera. Porque Deus anseia em se encontrar conosco. Devemos estar onde o Senhor quer que estejamos para falar conosco: a presença Dele. Quando confessamos a Jesus Cristo como nosso Salvador e Senhor, temos o Espírito Santo (I Coríntios 12.3) e se temos o Espirito ouvimos a voz de Deus porque Ele fala em nós.
Atalaia: ouça a voz de Deus!

2- Os PÉS do Atalaia:
O Atalaia deve estar de pé e posicionado vigilantemente  fazendo a ronda. Deus nos protege com sua mão porque somos seus atalaias e Ele nos manda nos levantarmos e nos dispormos para vigiar e ouvir sua voz. 
Ezequiel 33.7 “A ti ó filho do homem, te constitui por atalaia sobre a casa de Israel”
Ezequiel 33.22a “a mão do Senhor estava sobre mim, e Ele me disse: levanta-te” 
Ezequiel 33.4a “Então entrou em mim o Espirito, e me pôs em pé, e falou comigo” 
O Espirito Santo é que entra em nós e nos levanta e fala conosco. O Senhor pode estar te enchendo do seu Espírito e te levantando para que você seja alguém que ouve a voz de Deus.
Atalaia: permanece de pé na presença de Deus!

3- A BOCA do Atalaia
Dar o aviso é uma questão de vida ou morte tanto para quem ouve como para quem fala (Ezequiel 33.4-6). A mensagem, pregação é chamada de aviso (7 vezes) isso porque Deus sempre envia a palavra antes. Um aviso é uma noticia de algo que ainda vai acontecer. Deus sempre nos prepara para as lutas. O atalaia tem que dar o aviso o mais rápido possível e não pode dar tempo ao inimigo de se aproximar. Quanto antes avisar mais dá para preparar e se defender. 
Quando o atalaia não toca a trombeta avisando, ele é morto ou pelos inimigos que ajudou ou pelos amigos que traiu. Mas se avisar, pelo menos foi justo, cumpriu a sua tarefa e não tem culpa se alguém não se preparou. 
Ezequiel 3.17c “avisá-las-á da minha parte”
Ezequiel 3.27b “assim diz o Senhor” 
Nós falamos o que Deus disse e Ele fala através de nós. E não temos que arranjar o que falar, nossa única obrigação é repetir tudo o que vimos e ouvimos de Deus. Toda vez que entregava uma mensagem, Ezequiel dizia “veio a mim a palavra do Senhor dizendo” (Ezequiel 3.16) e começa a dizer o que Deus falou. O nosso dever é esse, dizer que foi Deus quem nos falou e já começar a falar as palavras de Deus. A boca do Atalaia faz o eco da voz de Deus na terra.
Atalaia: fale as palavras de Deus!

4- Os OLHOS do Atalaia:
O atalaia tem uma visão privilegiada e sempre está atento. Mas se as pessoas não acreditaram no que o atalaia diz ter visto, a culpa não será do atalaia e sim de quem não aceitou o aviso. Da mesma forma o cristão é  atalaia porque se assenta nos lugares celestiais (Efésios 2.6) e tem uma visão espiritual que o mundo não tem. 
Ezequiel 3.19 “se avisares o perverso, e ele não se converter da sua maldade e do seu caminho perverso, ele morrerá na sua iniquidade, mas tu salvaste a tua alma”
Ezequiel 3.21 “se tu avisares o justo, para que não peque, e ele não pecar, certamente, viverá, porque foi avisado; e tu salvaste a tua alma”
Se falarmos e a pessoa se converter do seu pecado, a sua alma é salva e nós não somos castigados. Não precisamos nos preocupar, com os resultados porque o Espírito Santo é que convencerá a pessoa do pecado (João 16.8) temos que fazer a nossa parte e Deus fará o resto. Muitas pessoas estão nas trevas e não conseguem ver espiritualmente (I Coríntios 2.14).
Atalaia: veja com olhos espirituais!

5- O SANGUE do Atalaia:
Deus nos cobra o sangue da pessoa que precisa ouvir. Muitas vezes o Senhor nos dá uma palavra que é uma mensagem evangelística e nós temos a responsabilidade de entregar este recado de Deus porque se não o ímpio morre no pecado e n6s somos os culpados por não avisá-lo. Deus nos cobrará cada palavra que nos deu se não entregamos, e seremos castigados por isso. 
Ezequiel 3.18 “quando eu disser ao ímpio”
Ezequiel 3.18  “o seu sangue, da tua mão o requererei”
Ezequiel 33.8 “se não o avisares”
Também para os justos, Deus nos dá uma palavra de edificação e exortação quando vemos que o pecado está se aproximando dele. E a justiça da pessoa não a salvará se ela cair em pecado (Romanos 6.23). 
Ezequiel 3.20 “não serão lembradas as suas ações de justiça que tiver praticado”
Ezequiel 3.20c “no seu pecado morrer”
Ezequiel 3.18c “aquele ímpio morrerá” 
Nós temos a responsabilidade sobre a palavra que não entregamos e o sangue da vítima nos será cobrado. Se avisarmos o ímpio e ele não se converter do seu mau caminho, ele morrerá. Mas não temos mais responsabilidade sobre a palavra nem sobre a pessoa depois que avisamos e este tem que se responsabilizar pelo pecado, pois já sabe da verdade. 
Atalaia: o sangue de inocentes será cobrado!

O Atalaia ouve a voz de Deus, vê o que Deus mostra e fala as palavras de Deus!
-CONCLUSÃO
Deus nos chama, nos fala e nos levanta para sermos seus Atalaias. Nossa tarefa é abrir os olhos para ver e os lábios para anunciar a mensagem do Senhor. Transferimos responsabilidade sobre a Palavra ao entregá-la.
O Senhor tem falado conosco e nos chamado para vigiar, sermos Atalaias e tocarmos a trombeta avisando quando o pecado vem, quando o diabo se aproxima, para que o povo possa se armar com a armadura do Senhor e fechar as portas para o adversário.

Atalaia: Toque a trombeta e anuncie guerra contra o pecado!
1

Jesus é maior!

-Tema:  
Mateus 12
-Introdução: Nas listas de ‘top 10’ são apresentados os maiores ou melhores de uma categoria. Os resultados são colhidos na opinião pública, tendo consenso da unanimidade. No tempo de Jesus na terra, também havia listas dos grandes nomes no meio de seu povo. Esta discussão parece se destacar no capítulo 12 de Mateus e Jesus deu respostas que mexeram com os conceitos de grandeza do judaísmo. Se a preocupação do povo era seguir o ensino de alguém grande, então estavam diante do maior personagem que a história já conheceu.
Jesus é o maioral em sua vida?
Vamos refletir sobre os textos onde Jesus diz que é maior:




1- Jesus é maior que o TEMPLO = RELIGIÃO: Mateus 12.6 “aqui está quem é maior que o templo”
A primeira coisa considerada grande para o povo era o templo, símbolo de sua religião. Olhando a grandeza do templo e a pequenez do legalismo dos fariseus, Jesus afirmou ser maior que o templo. Para o povo da época, não havia nada maior e mais glorioso que o templo. Contudo Jesus mostrou ser maior que sua religiosidade.
A mente do povo estava tão presa ao seu passado que não concebiam a hipótese de surgir alguém maior que seus patriarcas. Por isso a mulher samaritana perguntou se Jesus era maior que Jacó (João 4.12), mas reconheceu a grandeza do Mestre. O povo no templo lhe perguntaram se era maior que Abraão (João 8.53) ficando irados com a resposta positiva ao ponto de quererem apedrejá-Lo (João 8.58,59),
Nenhuma religião é capaz de conter a grandeza de Deus em si mesma. Deus sempre vai superar a religiosidade humana. Nem a teologia é capaz de explicar com exatidão quem é Deus porque o Senhor sempre será maior que todas as palavras. Nenhum templo ou ritual é capaz de conter o significado infinito do Todo Poderoso.
Não adianta discutir doutrinas e costumes denominacionais, pois Jesus é maior que tudo isso, até mesmo que a nossa própria razão quando estamos corretos. Então deixe a religiosidade para seguir a Jesus.
Jesus é maior que a religiosidade!

2- Jesus é maior que o SÁBADO = LEI: Mateus 12.8 “Porque o Filho do Homem é senhor do sábado
A segunda coisa grandiosa para o povo era o descanso em dia de sábado, que representava o cumprimento da lei. . Jesus mostrou para os fariseus que estavam “negligenciando o mandamento de Deus, guardais a tradição dos homens (Marcos 7.8). Jesus foi criticado por deixar seus discípulos colherem espigas para matar sua fome em dia de sábado (Mateus 12.1), tamanho era o legalismo dos fariseus que impediam as pessoas até de se alimentar ou praticar boas obras.
A lei de Moisés para os judeus era irrevogável, “Jesus, todavia, tem sido considerado digno de tanto maior glória do que Moisés” (Hebreus 3.3). Por isso Jesus declarou ser maior que o sábado, ou como descreveu o evangelista Marcos, “também do sábado” (Marcos 2.28), mostrando que na verdade é Senhor de todas as coisas.
Jesus é o Rei dos reis e “um só é Legislador e Juiz, aquele que pode salvar (Tiago 4.12), então é maior do que qualquer lei. Jesus cumpriu a lei (Lucas 24.44), mas trouxe uma nova visão dos mandamentos exposta no sermão do monte (Mateus 5 e 6), além de mostrar o maior de todos os mandamentos que é o amor (João 13.34).
Se você está seguindo leis que muitas vezes são normas de homens, passe a seguir somente a Jesus “e não se ocupem com fábulas judaicas, nem com mandamentos de homens desviados da verdade (Tito 1.14). Muitas igrejas sacrificam vidas por causa de normas humanas. Nenhum legalismo pode superar o amor de Jesus.  
Jesus é maior que a lei!

3- Jesus é maior que BELZEBU= DEMÔNIOS: Mateus 12.24 e 28 “Mas os fariseus, ouvindo isto, murmuravam: Este não expele demônios senão pelo poder de Belzebu, maioral dos demônios... “Se, porém, eu expulso demônios pelo Espírito de Deus, certamente é chegado o reino de Deus sobre vós
A terceira coisa considerada grande pelos judeus era o poder do mal. Mesmo que não admirassem o poder maligno, mesmo assim, se baseavam em ameaças de castigo espiritual quem desobedecesse a lei. Sentiam-se impotentes diante do inimigo. Temiam mais o demônio do que respeitavam a Deus. Consideravam o poder diabólico como opositor ao Divino, como se Deus tivesse que disputar com seu inimigo.
Satanás é a personificação de todo o mal. Esta foi a segunda vez que os fariseus acusaram Jesus de que “pelo maioral dos demônios é que expele os demônios” (Mateus 9.34). Belzebu era um nome grego para se referir ao termo hebraico Belial, originado do deus pagão Baal com sentido de confusão, maligno e profano [leia o estudo ‘Osfilhos de Belial’]. Este ser mitológico era considerado o maioral dos demônios, portanto a força desconhecida mais temida pelo povo. Se Jesus venceu a Belzebu, também derrotou todos os demônios.
Jesus libertou muitos endemoninhados. Os demônios sempre existiram e se manifestavam possuindo pessoas, contudo, diante da revelação do Filho de Deus foram desmascarados totalmente, pois “para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo (I João 3.8). Cristo foi tentado pelo diabo e venceu todas as artimanhas satânicas com seu poder (Mateus 4.1-11).
Não precisamos temer os demônios ou qualquer forma de mal ou perigo, pois Jesus sempre será maior que tudo isso. Se há algo maligno em sua vida, para ser liberto de todo mal é preciso confessar a Jesus como Senhor (I Coríntios 12.3).
Jesus é maior que os demônios!
                              
4- Jesus é maior que JONAS = PROFETAS: Mateus 12.41 “Ninivitas se levantarão, no Juízo, com esta geração e a condenarão; porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis aqui está quem é maior do que Jonas”
A quarta coisa considerada grande pelos judeus eram os profetas. Dentre os vários profetas admirados pelo povo, a história de Jonas parece se destacar, visto que foi citado por Jesus 4 vezes (Mateus 12.39,40, 41 e 16.4). Embora tenha fugido de Deus, a ousadia de Jonas em pregar para um povo pagão, era motivo de orgulho para os judeus que se consideravam um povo superior aos outros.
João Batista era considerado um grande profeta para o povo, contudo Jesus disse que “eu tenho maior testemunho do que o de João” (João 5.36). Jesus também se revelou maior que os profetas ao anunciar que o último dos profetas, “entre os nascidos de mulher, ninguém apareceu maior do que João Batista; mas o menor no reino dos céus é maior do que ele” (Mateus 11.11). O próprio João reconheceu isso dizendo “convém que Ele cresça e que eu diminua” (João 3.30). Cristo veio ao mundo cumprindo todas as profecias a seu respeito, mostrando sua superioridade a qualquer profeta, pois o objetivo destes era anunciar o Messias.
Muitos cristãos estão se tornando dependentes de profecias, querendo receber revelações de qual é a vontade de Deus para suas vidas. Contudo Jesus é a revelação máxima de Deus (Hebreus 1.1-3) e a Palavra de Deus também nos foi revelada para nos mostrar Cristo (João 5.39). Toda e qualquer profecia que não leve ao Senhorio de Jesus Cristo deve ser provada (I Coríntios 13.8).
Jesus é maior que o maior dos profetas!

5- Jesus é maior que SALOMÃO = REIS: Mateus 12.42 “A rainha do Sul se levantará, no Juízo, com esta geração e a condenará; porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E eis aqui está quem é maior do que Salomão”
A quinta coisa grandiosa para o povo judeu era o reino de Israel. A dinastia de Davi era honrada e o auge de seu império foi durante o reinado de Salomão. Jesus mesmo falou da glória de Salomão (Mateus 6.29). Os judeus sonhavam com o retorno do reino de Davi através do surgimento de um Messias que fosse um governante justo, embora Cristo não fosse político, a sua glória é muito superior aos reinos deste mundo (João 18.36).
A sabedoria de Jesus é maior que de Salomão, por isso disse “aprendei de mim que sou manso e humilde de coração” (Mateus 11.29). Jesus também anunciou um novo Reino, que não é humano, mas celestial e Divino (Mateus 3.2). Satanás tentou Jesus lhe oferecendo os “reinos do mundo” (Mateus 4.8), mas Cristo é o Criador de todas as coisas “todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez(João 1.3).
Jesus nos ensinou a orar “venho o teu Reino” e declarar que “Teu é o Reino, o poder e a glória” (Mateus 6.10 e 13) reconhecendo o domínio de Deus em nossas vidas. Acima de qualquer autoridade, devemos ter Jesus como Senhor soberano sobre tudo.
Jesus é maior que os reinos do mundo!

Jesus é maior que tudo!
-CONCLUSÃO: João 15.13 “Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos”
Jesus mostrou que é maior do que as 5 coisas consideradas maiores para os judeus, mostrando como os dedos da sua mão que “aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar” (João 10.29).
A superioridade de Jesus sobre a religião simbolizada pelo templo, sobre a lei memorizada pelo sábado, sobre o mal personificado nos demônios, sobre os profetas representado por Jonas e sobre os reinos do mundo idealizado por Salomão, mostram que não há limites para a grandeza infinita de Jesus.
Quanto a nós, não precisamos discutir quem é maior, mas seguir o exemplo humilde de Jesus (Lucas 22.26,27), sabendo que temos promessas de fazer obras maiores (João 14.12), mas sabendo que seremos perseguidos por isso (João 15.20).
Você não precisa ser maior que ninguém, apenas engrandeça a Jesus que só se colocou acima das pessoas quando estava pendurado na cruz. Quando surgir algo grande, nunca se esqueça que Jesus ainda é maior.
Nada supera a grandeza de Jesus!



2

O que é ser Cristão?

-Tema: VIDA CRISTà
“Ao verem a intrepidez de Pedro e João, sabendo que eram homens iletrados e incultos, admiraram-se; e reconheceram que haviam eles estado com Jesus”.
Atos 4.13
-Introdução: A palavra ‘cristão’ no grego bíblico, christianos (cristianos)1 se refere aos seguidores de Cristo. O sentido dado primeiramente ao termo era uma forma de ridicularizar os crentes, por sua semelhança com Cristo. O termo está no diminutivo, designando que seriam ‘pequenos cristos’ ou pedacinhos de Cristo2. Os apóstolos eram reconhecidos por terem estado com Jesus e seguir seus ensinamentos. Não se importavam com isso, estando dispostos a morrer como Jesus, para até nisso ser como Cristo (Atos 21.13).



Os seguidores de Jesus foram também denominados: “os do Caminho” (Atos 9.2), “irmãos” (Atos 15.1,23 e I Coríntios 7.12), “discípulos” (Atos 9.26 e 11.29), “crentes” (Atos 5.14), “santos” (Romanos 8.29 e 15.25) e “seita dos nazarenos” (Atos 24.5). Mas o título que permaneceu na história foi o de cristão, herdando o nome de Cristo.
Como ser parecido com Cristo?
Podemos refletir sobre isso, usando as três citações do nome cristão no Novo Testamento:
1- TESTEMUNHO: Atos 11.26 “tendo-o encontrado, levou-o para Antioquia. E, por todo um ano, se reuniram naquela igreja e ensinaram numerosa multidão. Em Antioquia, foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos”.
A primeira característica de um verdadeiro cristão é o seu testemunho de vida. Até esta ocasião, a expressão ‘cristão’ ainda não tinha sido usada e foi formulada por pessoas que não estavam na igreja para designar os seguidores de Jesus. Os discípulos foram chamados de cristãos, ou seja, as pessoas de fora é que deram este nome aos discípulos, tamanha a sua semelhança com Jesus.
Certa vez Mahatma Gandhi disse que “Eu amo seu Cristo. Apenas creio que muitos de vocês cristãos são bem diferentes do vosso Cristo e que “Eu seria cristão, sem dúvida, se os cristãos o fossem vinte e quatro horas por dia”. Infelizmente muitos crentes são apenas nominais, ou seja, dizem ser cristãos, mas não praticam o cristianismo. Precisamos procurar ser mais parecidos com Jesus ao ponto de as pessoas reconheceram a presença e os ensinamentos de Cristo em nossas vidas.
Ser cristão é dar testemunho de vida!
                              
2- MISSÃO: Atos 26.28 “Então, Agripa se dirigiu a Paulo e disse: Por pouco me persuades a me fazer cristão”.
A segunda característica de um cristão é ter a mesma missão que Cristo. Um cristão era reconhecido por falar de Jesus (Romanos 1.16). Quando Paulo foi interrogado pelo rei Agripa, o apóstolo testemunhou de sua conversão e sobre o seu chamado para anunciar o evangelho. Este depoimento foi tão impactante para o rei Agripa que reconheceu quase estar convencido a ser também um cristão. Contudo, não estava disposto a assumir o compromisso de seguir a Jesus.
O nome Cristo significa ungido3, portanto os cristãos também têm a unção de Cristo, pois “a unção que dele recebestes permanece em vós (I João 2.27). Jesus assumiu seu ministério declarando-se ser o ungido que o profeta Isaías havia anunciado (Isaías 61.1 e Lucas 4.18). Depois a sua unção veio sobre seus discípulos (João 20.22) que receberam a mesma unção de Jesus. A unção é a capacidade para um ministério. Quando alguém era ungido, logo deveria assumir um novo propósito de Deus para sua vida. Um verdadeiro cristão tem a unção de Jesus sobre sua vida (I João 2.20).
Jesus deixou uma missão para todos os seus discípulos que é “ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16.15). Não tem como ser cristão sem cumprir esta tarefa. Ser cristão é assumir a mensagem do evangelho e dar continuidade ao ministério de Jesus, salvando almas.
Ser cristão é dar continuidade à Missão de Jesus!

3- SOFRIMENTO: I Pedro 4.16 “mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe disso; antes, glorifique a Deus com esse nome”.
A terceira característica de um verdadeiro cristão é a forma que lida com o sofrimento. A vida de Jesus foi marcada por lutas desde o seu nascimento, uma vida de privações e muito trabalho, até a sua morte na cruz. Portanto, a proposta do cristianismo é continuar levando a cruz de Jesus, que disse: “se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me (Marcos 8.34). Levar a cruz é uma condição para quem deseja seguir a Jesus (Lucas 14.27).
Muitas religiões ensinam a fugir de tudo o que provoca dor e procurar tudo o que traz prazer. Por causa disso muitas pessoas não querem ser cristãs, pois não estão dispostas a levar a cruz. A fé cristã ensina a enfrentar o sofrimento e vencer com ajuda de Deus.
Talvez você pergunte: então tenho que sofrer, para ser cristão? Na verdade, o sofrimento já faz parte de nossas vidas e não temos opção diante disso. A grande diferença está na forma como lidamos com o sofrimento. Jesus nos ensinou a lutar buscando forças em Deus. Um verdadeiro cristão enfrenta o sofrimento seguindo o exemplo de Jesus. O melhor de tudo é que não estamos sozinhos, pois em cada momento Jesus prometeu estar conosco (Mateus 28.20).
Ser cristão é enfrentar o sofrimento como Jesus!

Busque ser parecido com Cristo!
-CONCLUSÃO: I João 2.6 “aquele que diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou”.
A ‘ditadura da moda’ estabelece padrões de beleza que são copiados por multidões de pessoas. Quando alguém admira uma pessoa famosa, logo procura ser parecido com seu ídolo. Contudo, poucas pessoas têm procurado ser semelhantes a Jesus. A Igreja precisa demais pessoas que sejam ‘pequenos cristos’, que mostrem a presença de Jesus em suas vidas.
Seja um verdadeiro Cristão!
______________________________
Citações Bíblicas: Bíblia Revista e Atualizada, Sociedade Bíblica do Brasil.
1 STONG, James. Dicionário Grego do Novo Testamento. Bíblia de Estudo Palavras-Chave: Hebraico. Grego. Tradução de João Ferreira de Almeida. Edição Revista e Corrigida. Rio de Janeiro: CPAD, 2011. Página 2463.
2 Bíblia de recursos para o ministério com crianças [notas e material adicional de Neyd siqueira]. 2ª ed. São Paulo: Hagnos, 2003. Página 1315.
3 VINE, W.E., Merril F. Unger e William White Jr. Dicionário Vine, tradução Luís Aron de Macedo, Rio de Janeiro: CPAD, 2006 – 7ª edição. Página 522.


23

Entendendo o Chamado de Deus

-Tema: MISSÕES
Jeremias 1.4-10
-Introdução: Já teve a sensação de chamar alguém e a pessoa não responder? Ou de ouvir alguém chamando e não saber quem é ou de onde é? Assim Deus se sente quando não ouvimos o Seu chamado. Às vezes até ouvimos e não entendemos. Mesmo que você não entenda, acredite que Deus tem um chamado para sua vida.
Como entender o chamado de Deus para mim?
Vamos refletir sobre a compreensão do chamado de Deus:


1- Deus considera a sua história de vida: v.1-3
Ele entra em sua vida e muda tudo, transformando a sua história e daqueles que te cercam.
2- Tudo começa ouvindo a voz de Deus: v.4
Se você ouve a voz de Deus, você é alguém chamado por Ele, mesmo que não entenda bem isso ainda.
3- O chamado de Deus marca sua vida: v.5
O sentimento de ser chamado é algo maior do que você. Isso marca a sua vida positivamente.
4- Deus supera suas limitações: v.6-7
Não importam as suas dificuldades, pare de olhar para traz. Confie em Deus. O Senhor vê o seu potencial e supera suas limitações.
5- Não há o que temer: v.8
Com Cristo, tudo é guiado por Ele. Como os discípulos que foram chamados para entrar no barco. Você nunca está sozinho.
6- Deus te capacita: v.9
Ele te toca e coloca as palavras certas em sua boca (Marcos 13.11). Sua capacidade vem de Deus e não de si mesmo. Com apenas um toque Deus pode mudar todas as coisas.
7- É preciso coragem para lutar: v.10
Vencendo todo o mal e construindo o bem. Não é fácil, é difícil, mas é o melhor.
Deus está te chamando!
-CONCLUSÃO: João 15.16
Aceite o propósito de Deus para sua vida e viva o chamado que Ele tem pra você. A conseqüência é que você será muito feliz.
Aceite o propósito de Deus para você!

ASSISTA:

0

Imitadores de Deus

-Tema: VIDA CRISTà
“Ao verem a intrepidez de Pedro e João, sabendo que eram homens iletrados e incultos, admiraram-se; e reconheceram que haviam eles estado com Jesus”.
Atos 4.13
-Introdução: A palavra ‘cristão’ no grego bíblico, christianos (cristianos)1 se refere aos seguidores de Cristo. O sentido dado primeiramente ao termo era uma forma de ridicularizar os crentes, por sua semelhança com Cristo. O termo está no diminutivo, designando que seriam ‘pequenos cristos’ ou pedacinhos de Cristo2. Os apóstolos eram reconhecidos por terem estado com Jesus e seguir seus ensinamentos. Não se importavam com isso, estando dispostos a morrer como Jesus, para até nisso ser como Cristo (Atos 21.13).
Os seguidores de Jesus foram também denominados: “os do Caminho” (Atos 9.2), “irmãos” (Atos 15.1,23 e I Coríntios 7.12), “discípulos” (Atos 9.26 e 11.29), “crentes” (Atos 5.14), “santos” (Romanos 8.29 e 15.25) e “seita dos nazarenos” (Atos 24.5). Mas o título que permaneceu na história foi o de cristão, herdando o nome de Cristo.
Como ser parecido com Cristo?
Podemos refletir sobre isso, usando as três citações do nome cristão no Novo Testamento:


1- TESTEMUNHO: Atos 11.26 “tendo-o encontrado, levou-o para Antioquia. E, por todo um ano, se reuniram naquela igreja e ensinaram numerosa multidão. Em Antioquia, foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos”.
A primeira característica de um verdadeiro cristão é o seu testemunho de vida. Até esta ocasião, a expressão ‘cristão’ ainda não tinha sido usada e foi formulada por pessoas que não estavam na igreja para designar os seguidores de Jesus. Os discípulos foram chamados de cristãos, ou seja, as pessoas de fora é que deram este nome aos discípulos, tamanha a sua semelhança com Jesus.
Certa vez Mahatma Gandhi disse que “Eu amo seu Cristo. Apenas creio que muitos de vocês cristãos são bem diferentes do vosso Cristo e que “Eu seria cristão, sem dúvida, se os cristãos o fossem vinte e quatro horas por dia”. Infelizmente muitos crentes são apenas nominais, ou seja, dizem ser cristãos, mas não praticam o cristianismo. Precisamos procurar ser mais parecidos com Jesus ao ponto de as pessoas reconheceram a presença e os ensinamentos de Cristo em nossas vidas.
Ser cristão é dar testemunho de vida!
                              
2- MISSÃO: Atos 26.28 “Então, Agripa se dirigiu a Paulo e disse: Por pouco me persuades a me fazer cristão”.
A segunda característica de um cristão é ter a mesma missão que Cristo. Um cristão era reconhecido por falar de Jesus (Romanos 1.16). Quando Paulo foi interrogado pelo rei Agripa, o apóstolo testemunhou de sua conversão e sobre o seu chamado para anunciar o evangelho. Este depoimento foi tão impactante para o rei Agripa que reconheceu quase estar convencido a ser também um cristão. Contudo, não estava disposto a assumir o compromisso de seguir a Jesus.
O nome Cristo significa ungido3, portanto os cristãos também têm a unção de Cristo, pois “a unção que dele recebestes permanece em vós (I João 2.27). Jesus assumiu seu ministério declarando-se ser o ungido que o profeta Isaías havia anunciado (Isaías 61.1 e Lucas 4.18). Depois a sua unção veio sobre seus discípulos (João 20.22) que receberam a mesma unção de Jesus. A unção é a capacidade para um ministério. Quando alguém era ungido, logo deveria assumir um novo propósito de Deus para sua vida. Um verdadeiro cristão tem a unção de Jesus sobre sua vida (I João 2.20).
Jesus deixou uma missão para todos os seus discípulos que é “ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16.15). Não tem como ser cristão sem cumprir esta tarefa. Ser cristão é assumir a mensagem do evangelho e dar continuidade ao ministério de Jesus, salvando almas.
Ser cristão é dar continuidade à Missão de Jesus!

3- SOFRIMENTO: I Pedro 4.16 “mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe disso; antes, glorifique a Deus com esse nome”.
A terceira característica de um verdadeiro cristão é a forma que lida com o sofrimento. A vida de Jesus foi marcada por lutas desde o seu nascimento, uma vida de privações e muito trabalho, até a sua morte na cruz. Portanto, a proposta do cristianismo é continuar levando a cruz de Jesus, que disse: “se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me (Marcos 8.34). Levar a cruz é uma condição para quem deseja seguir a Jesus (Lucas 14.27).
Muitas religiões ensinam a fugir de tudo o que provoca dor e procurar tudo o que traz prazer. Por causa disso muitas pessoas não querem ser cristãs, pois não estão dispostas a levar a cruz. A fé cristã ensina a enfrentar o sofrimento e vencer com ajuda de Deus.
Talvez você pergunte: então tenho que sofrer, para ser cristão? Na verdade, o sofrimento já faz parte de nossas vidas e não temos opção diante disso. A grande diferença está na forma como lidamos com o sofrimento. Jesus nos ensinou a lutar buscando forças em Deus. Um verdadeiro cristão enfrenta o sofrimento seguindo o exemplo de Jesus. O melhor de tudo é que não estamos sozinhos, pois em cada momento Jesus prometeu estar conosco (Mateus 28.20).
Ser cristão é enfrentar o sofrimento como Jesus!

Busque ser parecido com Cristo!
-CONCLUSÃO: I João 2.6 “aquele que diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou”.
A ‘ditadura da moda’ estabelece padrões de beleza que são copiados por multidões de pessoas. Quando alguém admira uma pessoa famosa, logo procura ser parecido com seu ídolo. Contudo, poucas pessoas têm procurado ser semelhantes a Jesus. A Igreja precisa demais pessoas que sejam ‘pequenos cristos’, que mostrem a presença de Jesus em suas vidas.
Seja um verdadeiro Cristão!
______________________________
Citações Bíblicas: Bíblia Revista e Atualizada, Sociedade Bíblica do Brasil.
1 STONG, James. Dicionário Grego do Novo Testamento. Bíblia de Estudo Palavras-Chave: Hebraico. Grego. Tradução de João Ferreira de Almeida. Edição Revista e Corrigida. Rio de Janeiro: CPAD, 2011. Página 2463.
2 Bíblia de recursos para o ministério com crianças [notas e material adicional de Neyd siqueira]. 2ª ed. São Paulo: Hagnos, 2003. Página 1315.
3 VINE, W.E., Merril F. Unger e William White Jr. Dicionário Vine, tradução Luís Aron de Macedo, Rio de Janeiro: CPAD, 2006 – 7ª edição. Página 522.