1

DIAGNÓSTICO ESPIRITUAL

Marcos 5.1-14 e Lucas 8.26-34
-Introdução: Hoje existem muitos remédios, mas a preocupação maior tem sido o diagnóstico correto para mão medicar errado.
Já sabemos que Jesus tem o remédio para tudo (Mateus 9.35). Precisamos entender a diferença entre: 
doença: Problema físico ou biológico
enfermidade: problema espiritual ou psicológico.
COMO DIFERENCIAR o desequilíbrio entre o físico e o espiritual? 
A pessoa pode ter um problema físico que não tem nada de espiritual, mas todo problema espiritual tem uma conseqüência física porque o diabo quer destruir a imagem e templo de Deus.
A Bíblia Sagrada nos orienta como entender tudo isso. O homem era doente física e mentalmente por causa de problemas espirituais. O mundo está doente, precisamos entender que o diabo está fazendo muito mais do que colocar dores nas pessoas.
-Veja os 10 SINTOMAS ESPIRITUAIS na vida do Gadareno:
0

O Tesouro do Coração

-Tema: CONVERSÃO
Mateus 6.19-21
-Introdução: A brincadeira da ‘caça ao tesouro’ se baseia em pistas que levam ao tesouro escondido. Jesus nos deu uma pista dizendo que para saber onde está nosso coração é somente observar onde está o nosso tesouro (v.21), ou seja, aquilo que mais damos valor¹. O coração é a sede dos sentimos e um depósito de emoções. Então para saber onde está o teu tesouro é preciso saber:
-O que é mais importante para você?
-O que você não abre mão?
-Com o que você gasta mais tempo?
Muitas vezes passamos por perdas que na verdade são testes da vida para nos provar se o nosso coração está naquilo que perdemos.
Onde está o tesouro do seu coração?

Vamos refletir sobre algumas pistas da caça ao tesouro e descobrir onde está nosso coração:
3

O Chamado Pastoral

-Tema: MISSÃO
“Dar-vos-ei pastores segundo o meu coração, que vos apascentem com conhecimento e com inteligência”. Jeremias 3.15
-Introdução: Muitas são as responsabilidades confiadas por Deus ao pastor e a autoridade é ferramenta dada pelo Senhor para tão grande missão. Contudo, o pastor não tem autoridade em si mesmo, deve depender e buscar em Deus.
Ao subir aos céus, Jesus declarou que toda autoridade lhe foi dada (Mateus 28.18) e nos comissionou para receber este poder (Atos 1.8). Então o pastor precisa buscar autoridade de Cristo e pode fazer isso imitando Jesus. A motivação do pastor deve ser educar e ensinar as ovelhas, aquelas que forem submissas a Cristo também serão ao pastor.
O poder de Deus na vida do pastor o leva a ser humildade e dependente de Cristo. A autoridade de Jesus foi confirmada na cruz e sua recompensa foi a ressurreição.
Como ser pastor?

A função do pastor é descrita no Novo testamento por palavras gregas que nos fazem entender melhor seu propósito:
25

Impedimentos à oração

-Tema: ORAÇÃO
Salmos 72.20
-Introdução: Davi compõe as mais belas orações da Bíblia. Por isso as palavras deste versículo são preocupantes: “Findam as orações de Davi, filho de Jessé”. Isso me leva a refletir o porquê de suas orações terem terminado. Poderia ser apenas uma conclusão literária de um grupo de salmos de Davi. Mas será que ele parou de orar? Teria morrido? Esfriou na fé? Não sabemos.
Gostaria de trazer essa reflexão para nossas vidas e pensar: quando acabarão minhas orações? Desejo que terminem só quando eu morrer como a Bíblia diz: “orai sem cessar” (I Tessalonicenses 5.17).
Vemos muitas pessoas que deixam suas orações acabarem com facilidade. Uns por que são impacientes e querem receber rápido, na hora que querem. Outros por ingratidão, depois de abençoados não sentem mais necessidade de buscar ao Senhor.
Você parou de orar?
Vamos meditar sobre algumas coisas que impedem nossas orações:
3

Os sinais do Reino de Deus

-Tema: MISSÃO
Marcos 8.11-13 e 16.17,20
-Introdução: Deus se revela através de sinais que servem para apontar ou sinalizar sua presença e vontade (Hebreus 2.4). Jesus negou dar sinais aos fariseus (Marcos 8.12), mas prometeu sinais aos discípulos (Marcos 16.17 e 20) para mostrar que nós devemos ser um sinal da presença de Deus no mundo. Precisamos ser um canal através do qual os sinais se manifestam.
Trazendo para a nossa realidade, como Jesus fez na oração do “Pai nosso”, onde ele diz “venha a nós o teu reino” (Mateus 6.10), quer dizer que podemos viver na terra como se fosse o céu a partir do momento que aprendermos que podemos através de nossas atitudes e ações trazer o “céu” para muitas pessoas e lares manifestando a vontade de Deus.
Quais são os sinais de Deus em sua vida?
Percebemos fatos importantíssimos acerca do Reino e de sua concretização em nossas vidas:

5

Ferramentas Espirituais

-Tema:
“O que tens na mão?” Êxodo 4.2
-Introdução: Deus usa coisas e situações inesperadas para provocar milagres. Algo que seja realmente improvável para que o mérito seja apenas da fé. Um grave erro seria o uso de objetos como amuletos mágicos. Este tipo de crendice, chamada ‘animismo’ porque atribui vida a coisas inanimadas.
A fé verdadeira não tem idolatria em nada material porque é invisível (II Coríntios 5.7), mas tem poder de remover montanhas (Mateus 21.21). O propósito de Deus em utilizar o que chamamos de ferramentas para realizar milagres é nos mostrar que temos condições de vencer as dificuldades com aquilo que está em nossas mãos.
Você precisa de um milagre?

Vamos refletir sobre alguns momentos quem Deu usou o que seus servos tinham nas mãos:
3

O que está pesado?

-Tema: VIDA CRISTÃ
Gálatas 6.2 e 5
-Introdução: Até que ponto deve-se ajudar uma pessoa? Talvez você já tenha passado por uma situação em que foi ajudar alguém e a própria pessoa não estava disposta a fazer sua parte deixando todo o peso em suas mãos.
Estes dois versículos do mesmo trecho nos intriga porque parece uma contradição entre eles. Primeiro diz para ajudar o irmão a levar a carga (v.2) e depois ensina que cada um deve levar seu próprio fardo (v.5). Mas o texto não se contradiz e sim traz um rico ensinamento sobre a vida cristã. O segredo para entender a mensagem está no sentido das palavras carga e fardo, usadas em forma de um trocadilho. O contexto se refere ao trato com as fraquezas do irmão e como ajudar além de estar sempre atento para as próprias dificuldades (Efésios 6.1-8).
Você precisa de ajuda?
Vamos aprender o sentido desta mensagem a partir das palavras-chave do texto:
3

O Mestre Jesus

-Tema: DISCIPULADO
 “Vós me chamais o Mestre e o Senhor e dizeis bem; porque eu o sou”. João 13.13 
-Introdução: A Igreja precisa de uma pedagogia bíblica para ensinar vidas tomando como padrão o seu maior Mestre: Jesus Cristo. O objetivo principal do ensino é alcançar o povo. Para isso é feita uma ponte de reflexões para a igreja como professora e representante do Mestre nos dias atuais. Uma questão central pode ser: Como Jesus faria se estivesse ensinando na sociedade? Qual seria seu público? Que temas abordaria?
Jesus era corretamente chamado de Mestre. Foi reconhecido como Mestre até mesmo por outros mestres da lei como Nicodemos (João 3.2). Toda a sua trajetória foi um ato pedagógico com o objetivo de ensinar o amor de Deus às pessoas. Jesus ensinava através de sua fala e seus atos.  Por onde passava atraía o olhar e ouvidos das pessoas a seus ensinamentos.
Você tem aprendido com Jesus?
Vamos refletir sobre a missão de ensinar a Palavra de Deus baseado no modelo pedagógico de Jesus:
4

Três jovens na cruz

-Tema: JUVENTUDE
Lucas 23.39-43
-Introdução: Jesus tinha 33 anos quando foi crucificado (Lucas 3.23), portanto era um jovem. Os dois malfeitores ao seu lado provavelmente também eram jovens como Jesus. Naquele tempo a expectativa de vida que era muito baixa¹, principalmente entre os homens devido a guerras, doenças e o alto índice de violência.
Esta cena dos três jovens pendurados nas suas cruzes nos ensina muito sobre a juventude. A conversa entre eles nos revela coisas que se passam em ‘papo de jovem’. O certo é que estavam na cruz e cada um tinha o seu motivo para estar ali. Tantos jovens hoje também estão sendo crucificados pela violência, drogas, suicídio e acidentes de trânsito levando-os a morte precoce entre 15 e 24 anos². No Brasil “32 jovens de até 19 anos são assassinados todos os dias”3.
Jovem, você está levando a sua cruz?
Vamos meditar sobre as três cruzes destes jovens:
8

Não deixe sua casa cair

-Tema: FAMÍLIA
Mateus 7.24-27
-Introdução: A expressão popular ‘um dia a casa cai’ se refere a situações em que algo começou errado e certamente terminará pior ainda. Infelizmente muitas casas estão em ruínas não em suas paredes, mas seu conteúdo principal que é o amor. O relacionamento pode ser comparado com a manutenção de uma casa que precisa sempre estar em dia para não deixar acumular problemas que podem ser irreversíveis.
Jesus falou de dois homens que fizeram suas casas normalmente com a única diferença em sua base. Um construiu sobre a pedra e outro sobre a rocha. A diferença entre eles foi ainda maior quando veio uma tempestade sobre as duas casas e a que foi erguida sobre a areia desabou enquanto a que estava sobre a rocha permaneceu intacta.
Sua casa está caindo?
Vamos refletir sobre quatro fatos que sustentam a família comparando com quatro colunas de uma edificação:
0

O cuidado de Deus

-Tema: MOTIVACIONAL
Êxodo 14.14-31
-Introdução: Você já ouviu alguém dizer: ‘faça a sua parte e eu te ajudarei’ como se fosse um versículo bíblico? Infelizmente esta frase não é bíblica, mas também não contradiz a Palavra de Deus. Talvez você já tenha pensado: “mas eu faço tudo certo, porque as coisas dão errado?” e com isso podemos refletir que muitas vezes Deus está tentando nos ajudar e nós é que atrapalhamos ‘passando o carro na frente dos bois.
O povo de Deus estava iniciando uma longa caminhada pelo deserto rumo à terra de Canaã. Haviam presenciado dez pragas no Egito e foram livrados de todas elas. Mesmo assim era um povo difícil e desobediente. Deus queria os abençoar e muitas vezes eles mesmos atrapalhavam o agir de Deus.
Muitas vezes nossa caminhada está difícil, mas não é culpa de Deus e sim nossa.
Como você tem caminhado?
Vamos refletir o que devemos fazer e o que Deus faz:
10

Jesus transforma a sua história

-Tema: CONVERSÃO
Atos 1.6-11
-Introdução: Muitas vezes não percebemos o tempo em que estamos vivendo. O ser humano é limitado ao espaço e ao tempo. Por isso muitas vezes pensamos: ‘ah, se eu soubesse’ ou ‘ah, se eu pudesse voltar atrás’. Mas a oportunidade que passou não voltará e o que vivemos hoje precisa ser aproveitado (Efésios 5.16).
Deus é o Senhor do tempo. O Eterno é atemporal porque não está sujeito ao tempo humano (II Pedro 3.8). O único que está acima das épocas, gerações e milênios, também é o único que pode mudar a história. A vinda de Jesus ao mundo dividiu a história em antes e depois de Cristo. Isso porque Ele é o único que pode transformar a história da humanidade.
Você precisa de mais uma chance?
Reflita sobre o poder transformador de Jesus sobre a sua história:
6

Os três pregos da cruz

-Tema: VIDA CRISTÃ
Marcos 8.34-38
-Introdução: Presume-se que na crucificação foram usados três pregos: um para cada mão e outro nos dois pés apoiados um sobre o outro. Por isso vamos usar estes três pregos como ilustração para falar sobre esta crucificação do eu (Gálatas 2.20).
A doutrina da cruz é o Evangelho. Embora pareça algo vergonhoso (v.38) diante dos homens e uma loucura que só pode ser entendida espiritualmente (I Coríntios 1.18). Precisamos ‘pregar’ mais sobre a cruz, mas para isso estamos expostos a estes ‘pregos’ que nos ferem e nos seguram pendurados na cruz.
O que está te crucificando?
Vamos refletir sobre os três ‘pregos’ que nos prendem à cruz:
0

Lamentação ou murmuração?

-Tema:
Lamentações 3.21-26
-Introdução: A lamentação é muito comum na Bíblia. Pelo menos 40 salmos refletem este gênero literário. É curioso perceber tanta incidência deste gênero entre outros belos hinos de louvor. Isso ocorre por que o povo bíblico viveu em um tempo de muitas guerras e sofriam muitos ataques de seus inimigos. Tudo o que sentiam apresentavam a Deus em orações que originaram estes textos. Até hoje o povo de Israel tem o ‘muro das lamentações’ onde clamam pela restauração de seu povo.
A lamentação se direciona para Deus com fé de que pode salvar o aflito, já a murmuração se dirige ao homem que o fere, a si mesmo ou até mesmo a Deus, porém sem fé de que este possa salvá-lo. Jeremias escreveu este livro lamentando a situação de seu povo diante do Senhor.
Você está reclamando de quê?
Vamos refletir sobre a lamentação e encontrar alguns motivos para não reclamar:
29

Santidade

-Tema: SANTIFICAÇÃO
Josué 3.5
-Introdução: Muito se fala em avivamento hoje, mas para haver avivamento, primeiro é preciso se santificar. O Espírito Santo não repousa sobre lugar sujo. Aquela pomba que pousou sobre Jesus mostrou que Ele é o Filho de Deus, como sinal de que devemos imitá-lo santificando nossas vidas. 
   John Wesley, um dos grandes avivalistas da história, tinha como lema “reformar a nação, especialmente a Igreja e espalhar a santidade bíblica por toda a terra” e com este objetivo de santificação, John Wesley e seus seguidores conseguiram participar do maior avivamento de todos os tempos.
4

Pregações para o dia dos namorados

6

Perguntas para fazer antes de tomar uma decisão

-Tema: DISCERNIMENTO
Mateus 22.29
-Introdução: Uma decisão muitas vezes é um caminho que não tem volta. Por isso precisamos ter muita atenção antes de tomar uma direção. Sua vida é algo muito sério para ser levada como uma brincadeira ou jogo de sorte. Você tem buscado o discernimento de Deus antes de tomar uma decisão? Pense muito e ore mais ainda para depois decidir qualquer coisa.
   Existe uma diferença entre o certo e o errado, como entre as trevas e a luz. Por isso Jesus disse que erramos quando não conhecemos as Escrituras nem o poder de Deus. Como podemos conhecer estas duas coisas? 
1

Reedificando a Família

-Tema: FAMÍLIA
“Se o Senhor não edificar a casa em vão trabalham os que a edificam” Salmos 127ª
-Introdução: Vivemos em meio ao mundo onde acontece muita destruição. As catástrofes estão acontecendo com tanta frequência, que muitas pessoas já se acostumaram com as estatísticas revelando números devastadores de violência, acidentes, vícios e doenças.
O ‘trabalho’ do diabo é “roubar, matar e destruir” (João 10.10) e satanás não brinca nem por um segundo (I Pedro 4.8). Como uma construção que parece não terminar, a edificação da família é um trabalho contínuo. Por isso precisamos sempre reedificar nossa casa. Mesmo que o mundo venha tentar desfazer sua família, lute para restaurá-la pedindo ao Senhor que edifique sua casa.
Como restaurar a família em tempo de destruição?
Vamos refletir sobre famílias que venceram a destruição edificando suas casas:
1

A casa de Jesus

-Tema: FAMÍLIA
“As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos;
mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça”.
 Mateus 8.20
-Introdução: O ministério de Jesus foi itinerante, por isso fez esta declaração de que não tinha local fixo de residência (Marcos 1.38,39). Embora Jesus andasse por tantos lugares (Mateus 9.35), existem muitos indícios bíblicos de que “foi morar em Cafarnaum” (Mateus 4.12,13) como um ponto de apoio de onde partia para pregar nas regiões vizinhas da Judéia, Galileia e Samaria, além de visitar cidades romanas como Tiro, Sidom e a região de Decápolis (Marcos 7.31).
1

Pregações sobre Família