0

A vontade de Jesus

-Tema: VIDA CRISTÃ
“Disse-lhes Jesus: A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra”.
João 4.34
-Introdução: O maior exemplo de vida segundo a vontade de Deus está em Jesus Cristo. A vontade de Deus e a de Jesus são a mesma coisa. Por isso o Mestre disse que seu sustento é cumprir os planos de Deus. Tudo que Jesus fez foi para cumprir o propósito de Deus e nos ensinar como viver segundo a vontade do Senhor.
A vontade humana é passageira e nem sempre é o melhor, mas a vontade de Deus é “boa, agradável e perfeita” (Romanos 12.2). Por isso precisamos conhecer a vontade de Deus para nossas vidas.
Você conhece a vontade de Deus para sua vida?
Vamos estudar no evangelho de João onde Jesus usa a Palavra ‘vontade’, explicando qual é o plano de Deus para nossas vidas:
0

Os nomes de Deus

Êxodo 20.7
Introdução: Devido ao mandamento da lei citado no texto, o povo de Israel tinha uma imensa reverência com o nome do Senhor. Tomavam todo o cuidado ao pronunciar o nome de Deus porque Seu nome é santo.
  O que é falar o nome de Deus em vão?
  Talvez seria dizer à toa, irrefletidamente (como: ai meu Deus!) ou em piadinhas.
  Em contrapartida a esse respeito todo com o nome de Deus, também achavam que um só nome não seria o suficiente para expressar a “multiforme graça de Deus”. Então de acordo com a situação que viviam expressavam um nome de Deus que declarava o poder de Deus para resolver seus problemas, juntamente com sua fé na capacidade Divina.
  Em diversos momentos da história de Israel quando Deus os livrava eles associavam a sua necessidade ao nome Divino (EL ou JEOVÁ) expressando sua fé no Senhor.
       Os nomes de Deus nos mostram os atributos da personalidade Divina e nos levam a compreender melhor quem é o nosso Deus. Estudamos muito a palavra de Deus, a história do povo de Deus, Suas promessas e mandamentos e muitas vezes esquecemos que precisamos conhecer mais do próprio Deus.
OBSERVAÇÕES:
a) Como a língua hebraica é muito diferente da portuguesa e de difícil tradução para esta, você poderá encontrar grafias e pronúncias diferentes das que apresentaremos aqui. Por exemplo o nome Jeová no original se diz IERROVÁH ou IHAVEH, também de forma simplificada: Javé ou Jah. Comumente se encontra no lugar de V um W e um H depois da última vogal. O importante aqui é o significado!
b) Este estudo não apresenta novidades espirituais ou místicas como por exemplo uma fórmula de orações utilizando estes nomes (embora isso possa ser feito). O grande acréscimo deste estudo é o conhecimento de Deus, como se revelava ao seu povo e como este povo o invocava. Nossa prática cristã é neotestementária. A ‘receita’ ensinada por Jesus para a oração é orar ao Pai em nome do Filho e sob a intercessão do Espírito Santo (João 16.8-11; 23 e 24).
c) Não é necessário chamar a Deus por estes nomes como ensinam algumas seitas. Estes nomes estão muitos ligados à cultura judaica.
Vejamos 20 nomes de Deus utilizados no Antigo Testamento:
0

Não deixe a luz apagar

-Tema: VIDA CRISTÃ
“antes que a lâmpada de Deus se apagasse”.
I Samuel 3.1-10
-Introdução: O fogo não poderia se apagar sobre o altar, nem a lâmpada apaga-se dentro da Casa de Deus. Um sacerdote tinha duas tarefas diárias que não podiam ser esquecidas: manter aceso o fogo sobre o altar (Levítico 6.12,13) e as lâmpadas do candelabro sempre acessas dentro da tenda durante todo o dia para ministração (Êxodo 27.20,21). A luz não podia ser apagada em momento algum.
O sacerdote Eli estava cego fisicamente (v.2) e espiritualmente estava fraco na fé (v.12-14). Deixou de ascender a lâmpada do Senhor todos os dias. Por causa disso o povo ficou em trevas.
O que fazer antes que a lâmpada se apague?
Através do exemplo de Samuel aprendemos algumas coisas que precisamos fazer antes que a luz se apague: 
1

A verdade sobre o pecado

-Tema: PECADO
“Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça”. Isaías 59.2
-Introdução: O que é o pecado? Pecado é tudo o que separa a pessoa de Deus. A incredulidade desviou o ser humano do verdadeiro Deus para um ‘deus’ falso (si mesmo). 
   O primeiro pecado consiste em querer ser igual a Deus e ir além do que ele permitiu, desobedecendo a sua vontade segundo Gênesis 3.1-13.
Existem três forças que lutam para nos fazer pecar:
    -CARNE: nossa tendência pecaminosa e falha;
    -MUNDO: circunstâncias que nos levam ao pecado;
    -DIABO: influência maligna do inimigo de nossas almas.
Como vencer o pecado?
Vamos refletir algumas verdades sobre o pecado:
1

Os inimigos da Cruz

-Tema: VIDA CRISTÃ
“Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo”.
Filipenses 3.18
-Introdução: Um cristianismo sem cruz não é cristão. Jesus não evitou a cruz nem tentou amenizar o seu sofrimento. Cristo enfrentou até o fim a dura crucificação. Como cristãos precisamos fazer como diz o hino “levarei eu também minha cruz”.
Jesus disse que “se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me” (Mateus 16.24). Então para ser cristão é necessário crucificar-se com Cristo porque “os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências” (Gálatas 5.24). Todo e qualquer ensinamento que nega este princípio não é cristão. Por isso Jesus repreendeu Satanás quando através de Pedro intentou que Jesus não passasse pela cruz (Marcos 8.33).
Quem são os inimigos da cruz?
Vamos aprender sobre algumas coisas que são opostas à doutrina da cruz:
0

O clamor da multidão

-Tema: CONVERSÃO
“Asseguro-vos que, se eles se calarem, 
as próprias pedras clamarão”.
Lucas 19.40
-Introdução: A sociedade tem a tendência de agir coletivamente através da ação da massa. Os romanos usavam uma estratégia para influenciar o povo distribuindo alimento e fazendo espetáculos chamados de ‘pão e circo’.  Esta massificação dos comportamentos sociais faz que as pessoas muitas vezes entrem no coro da multidão sem saber o que realmente estão gritando.
Jesus foi aclamado pelo povo ao entrar em Jerusalém. Os fariseus mandaram que parassem. Mas o Senhor deixou claro que não poderiam silenciar o povo. Os mesmos fariseus usaram o uma turba para determinar o julgamento de Jesus. Deste modo a mesma multidão que um dia louvou, pouco depois condenou.
O que você tem clamado?
Vamos meditar sobre alguns ‘brados’ da multidão a respeito de Jesus:
0

O Batismo da Cruz

-Tema: CONVERSÃO
“Podeis vós beber o cálice que eu bebo 
ou receber o batismo com que eu sou batizado?”.
Marcos 10.35-40
-Introdução: O batismo é uma entrega total a Deus, como Jesus se entregou totalmente por nós na cruz. Um compromisso muito sério e que não podemos voltar atrás. É muito perigoso falar sem pensar. Por causa disso muitas pessoas assumem compromissos sem estar conscientes do que estão fazendo. 
Os filhos de Zebedeu, discípulos Tiago e João, com o apoio de sua mãe (Mateus 20.20-22) pediram a Jesus para sentar-se ao seu lado em seu trono de glória. Jesus já havia lhes prometido anteriormente que “quando, na regeneração, o Filho do Homem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis em doze tronos (Mateus 19.28). Mas eles queriam o privilégio de estar ao lado de Cristo, o que indicaria maior poder.
Diante de sua presunção, Jesus perguntou para Tiago e João se estariam dispostos a pagar o preço necessário para receber tal recompensa e mais uma vez eles se anteciparam assumindo o compromisso. De fato os dois experimentaram o que se propuseram passando pelo Batismo da Cruz.
Como é o Batismo da Cruz?
Vamos refletir sobre o Batismo da Cruz a partir do exemplo de Cristo para Tiago e João, bem como eles experimentaram este sacrifício:
10

Não desça da cruz!

-Tema: VIDA CRISTÃ
“Salva-te a ti mesmo, descendo da cruz” 
Marcos 15.30
-Introdução: Esta foi uma das frases mais ouvidas por Jesus quando estava sobre a cruz. O que aconteceria se tivesse descido da cruz? Teria negado seu próprio ensinamento: “se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Porquanto, quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á...” (Mateus 16.24,25). Se Jesus tivesse descido da cruz, não teria alcançado a ressurreição.
Todos os dias somos desafiados por ‘cruzes’ que carregamos. A cruz representa o evangelho. Negar a si mesmo e fazer a vontade de Deus. Por isso, a cada instante enfrentamos situações que nos colocam na cruz, no sentido de tomar uma postura cristã ao invés de fazer a vontade da carne. Neste momento o mundo começa a te provocar para descer da cruz. Isso significa abandonar o seu propósito numa tentativa de salvar-se, mas que coloca tudo a perder.
Tudo que machuca você, te ferindo o orgulho, serve para crucificar seu ego. São situações, problemas ou pessoas que te fazem sentir-se como Jesus, com as mãos e pés presos na cruz. Sua cabeça começa a sentir espetadas como espinhos só de pensar nisso.
O que está te crucificando?
Vejamos alguns sentimentos que tentam nos fazer descer da cruz:
0

Nos passos de Jesus

-Tema: VIDA CRISTÃ
“aquele que diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou”.
I João 2.6
-Introdução: Alguns homens de Deus como Noé (Gênesis 6.8) e Enoque (Gênesis 5.22) foram conhecidos por andar com Deus. Os discípulos também ficaram conhecidos por andar com Jesus. E você? Será que as pessoas te conhecem por andar com Jesus? Você pode andar com Cristo porque Ele anda com você por onde for.
O apóstolo João usou o verbo andar diversas vezes em suas três cartas que escreveu para sua igreja com o propósito de ensinar como suas ovelhas deveriam andar. João mesmo foi um dos discípulos que andou com Jesus e aprendeu a viver na presença Dele.
Como você tem andado?
Vamos refletir nas cartas pastorais do apóstolo João como ensinou que devemos andar:
1

Sentimentos de um discípulo

-Tema: DISCIPULADO
João 1.35-51
-Introdução: Através do discipulado alcançamos o coração das pessoas. Um verdadeiro discípulo abre seu coração para seu mestre. Um bom mentor sabe como falar ao coração de seus seguidores. O discipulado transmite sentimento, emoção e poder.
Os primeiros discípulos de Jesus, antes tinham sido seguidores de João Batista (v.35-38), então já eram pessoas ‘discipuláveis’.  Alguns discípulos foram chamados por outros discípulos para conhecer a Jesus (v.40-42 e 45). E houve alguns que foram convidados pelo próprio Mestre (v.43,44).
O que você sente pelo seu líder?
Baseado no chamado de André, Simão, Felipe e Natanael, vamos refletir sobre alguns sentimentos relacionados ao discipulado:
2

Deus do IM-Possível

-Tema:
“Porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas”
Lucas 1.37
-Introdução: A palavra ‘impossível’ não existe no dicionário de Deus. O Todo Poderoso não sabe o que é isso. Mas o homem se depara com limites todo o tempo. Estes limites servem para nos controlar e nos conduzir a depender de Deus. Podemos ir somente até onde Deus permite e a partir de então precisamos de um milagre para continuar.
Você precisa de um milagre?
Vamos refletir sobre as coisas possíveis, difíceis e as impossíveis:
9

O que acontece quando Jesus chega

-Tema:
Marcos 9.14-29
-Introdução: Quando Jesus chega a algum lugar ou na vida de alguém, coisas novas acontecem (II Coríntios 5.17). Esta transformação divide a vida das pessoas em ‘antes e depois’ de conhecer a Jesus. Todo testemunho de conversão traz esta característica de mudança de vida.
O que aconteceu quando
Jesus entrou em sua vida?
Quando Jesus chega acontece:
0

Mulher, por que choras?

-Tema:
João 20.11-18
-Introdução: A sensibilidade é uma característica feminina. Enquanto muitos homens hesitam em demonstrar seus sentimentos, as mulheres geralmente expõem suas emoções com mais facilidade.
Maria Madalena já estava chorando há vários dias. Desde que prenderam, maltrataram e crucificaram seu mestre. Chorou por toda a via crucis até o calvário e desde a cruz até o túmulo. No domingo, Maria Madalena retorna esperançosa em rever seu mestre e quando encontra o túmulo vazio, volta a chorar (v.11). Mas agora recebe uma boa notícia de que não há mais razão para sua tristeza.
O que te faz chorar?
Alguns motivos de consolo, baseando nas duas vezes que foi perguntado a Maria Madalena: “porque choras?”.
0

Lídia: mulher de Deus

-Tema: CONVERSÃO
Atos 16.13-15
-Introdução: A falta de referenciais faz que gerações percam a direção. Devido à falta de bons líderes e a tantas decepções, muitas pessoas estão descrentes em seu próximo. Principalmente no meio cristão, precisamos urgentemente de conhecer verdadeiros homens e mulheres de Deus.
Lídia foi uma simples mulher que se tornou uma grande líder na Igreja de Filipenses, passando a ser referencial para novos convertidos. Entre as mulheres de seu tempo, Lídia rompeu barreiras abrindo caminho para outras vidas. Seu nome é uma referência à sua cidade natal, Lídia que se chama assim por causa de seu fundador Lydos1
Como ser uma mulher de Deus?
Vejamos algumas características de uma mulher de Deus a partir do exemplo de Lídia:
0

Mulheres anônimas da Bíblia

-Tema: MULHER
Lucas 8.1-3
-Introdução: As mulheres se destacam em toda a Bíblia por sua piedade. No ministério de Jesus, elas estavam sempre presentes, chegando a assumir o sustento do Mestre, contribuindo para a obra de Deus. Muitas mulheres são citadas pelo nome, mas gostaria de enfatizar as anônimas, cujos nomes não são lembrados, mas seu exemplo permanece (v.2).
Os anônimos na Bíblia são personagens que podemos dar o nosso próprio nome. Como se tivesse no texto um parêntese para preencher com a assinatura. Isso porque ninguém é invisível para Deus, que nos conhece pelo nome (Isaías 43.1). Então a mulher anônima representa cada irmã.
Quem é você, mulher?
Vamos aprender com o exemplo de algumas mulheres anônimas no ministério de Jesus:
1

Pregações para o Dia Internacional da Mulher

Parabéns a todas as mulheres!

Abaixo segue uma lista de links de pregações para reuniões e cultos da Mulher:
A mulher encurvada: Os fardos da vida
Mulher que perdeu a dracma: Valores Perdidos

0

Valores perdidos

-Tema: VIDA CRISTÃ
Lucas 15.8-10
-Introdução: O texto de Lucas 15 reúne três parábolas com o tema perdas. Parece que o Mestre Jesus estava preocupado em ensinar que devemos buscar o que perdemos. Jesus descreve o cotidiano das pessoas de forma que entendessem. Embora esta história pareça simples, traz uma mensagem importante e prática para nossas vidas.
O que você perdeu?
Vamos aprender com esta parábola:
4

Fugindo Para Deus

I Reis 19.1-8
-Introdução: Quem nunca teve vontade de fugir? Quando recebemos uma má notícia é esta a impressão que temos. Elias foi um grande e destemido profeta, mas neste momento ficou com medo de uma mulher perversa chamada Jezabel. Ele fugiu.
Mesmo com medo Elias foi para o deserto e ali mesmo debaixo de uma árvore ele orou ao Senhor. Estava tão triste e desanimado que pediu para morrer. Deus não ouviu esta oração, tanto que Elias nem morreu (II Reis 2.1-8) foi arrebatado. Elias adormeceu e foi acordado por um anjo de Deus que trazia alimento.
Tiago disse que “Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos” (Tiago 5.17 ) e muitas vezes estamos como Ele, tristes e desanimados da vida, só falamos besteira com Deus. Se Deus fosse dar ouvidos às besteiras que falamos, heim?!
Você está precisando de ânimo?
Quando Elias estava debaixo daquela árvore algo aconteceu para reanimá-lo para a caminhada:
0

Mistérios de Deus

-Tema: REVELAÇÃO 
“Respondeu-lhes Jesus: A vós outros é dado conhecer os mistérios do reino de Deus; aos demais, fala-se por parábolas, para que, vendo, não vejam; e, ouvindo, não entendam”.
Lucas 8.10
-Introdução: A Bíblia tem muitos mistérios sem respostas claras. Estas coisas servem para nos lembrar de que todo conhecimento pertence a Deus, que revela a quem quiser, quando quiser e se for de sua vontade (Daniel 2.27,28 e 30). Desde que a humanidade pecou comendo da “árvore do conhecimento do bem e do mal” (Gênesis 2.17), procura conhecer coisas além do que foi revelado e com isso cai em muitos enganos.
Existem verdades que são “mistério guardado em silêncio nos tempos eternos” (Romanos 16.25). Como “ministros de Cristo”, somos também “despenseiros dos mistérios de Deus” (I Coríntios 4.1). Mas estes mistérios podem ser revelados segundo um propósito especial (Efésios 1.9) para a glória de Deus (Colossenses 1.27).
Como entender os mistérios de Deus?
A respeito de coisas misteriosas, devemos saber que:
0

O que eu não devo temer

-Tema: MEDO
O que eu não devo temer
“não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel”.
Isaías 41.10
-Introdução: O medo paralisa as pessoas. Muitas pessoas vivem presas em fobias e pânico porque se sentem desprotegidas. Parece que o que tememos nos persegue (Jó 3.25). Não é preciso ter medo quando estamos bem acompanhados. A presença de Jesus nos garante a proteção.
Vários servos de Deus enfrentaram perigos e tiveram coragem. Isaque quando Abraão foi oferecê-lo em sacrifício (Gênesis 22.7), Elias (I Reis 18.22), Misael, Ananias e Azarias na fornalha (Daniel 3.17), Davi muitas vezes (Salmo 18.4). Jesus venceu o medo na cruz (Hebreus 12.2).
O que você tem medo?
Podemos fazer uma lista de coisas que temos medo, mas antes vamos ver uma lista de coisas que a Bíblia diz que não precisamos temer quando Jesus está conosco: