O poder da Confissão

Tema: CONVERSÃO 

homem de joelhos orando

Salmo 51.1,2 “Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões. Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado.”

Introdução: No Salmo 51, o rei Davi reconhece seu pecado diante de Deus, clamando pelo perdão e purificação de sua alma. Esta oração de Davi é uma confissão especificamente de quando pecou com Bate-Seba (2Samuel 11.1-5). Davi assumiu o seu erro e enfrentou as consequências, mas acima de tudo se apresentou a Deus em confissão e arrependimento.

John Wesley ensinava seus seguidores a confessar sempre os pecados que cometeram e também as tentações, pecados que embora não tivessem cometido, estavam sentindo desejo de fazer. Com isso as pessoas eram tratadas em grupos de apoio, confessando uns aos outros e conseguiam superar seus erros.


Você confessa seus pecados todos os dias?

Vamos aprender sobre o poder da confissão:


1. Confessar é RECONHECER

Salmo 32.5 “Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Eu disse: “Confessarei ao Senhor as minhas transgressões”; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado.”

Muitas vezes, tentamos esconder nossas transgressões, como desde o início do pecado o homem se escondeu de Deus (Gênesis 3.1-8), mas não adianta fugir de Deus, que conhece todas as coisas (Marcos 4.22). A confissão é a porta de entrada para experimentar o perdão e a restauração de nossa comunhão com o Espírito Santo, que nos conduz ao arrependimento, convencendo do pecado (João 16.8-11).

A tendência humana é esconder o pecado, mas não podemos negar os nossos pecados, como se não tivéssemos feito nada, porque “se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos enganamos, e a verdade não está em nós” (1João 1.8). Se Deus disse que “todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3.23), então precisamos reconhecer isso, porque “se dissermos que não cometemos pecado, fazemos dele um mentiroso, e a sua palavra não está em nós” (1João 1.10).

Além de confessarmos nossos pecados, precisamos demonstrar um verdadeiro arrependimento, deixando o prazer da carne, “porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação(2Coríntios 7.10). Davi se mostra profundamente arrependido em seu salmo, implorando a Deus que crie em seu coração um espírito renovado (Salmo 51.10).

Confesse e Reconheça seus pecados!

 

2. Confessar é ABANDONAR

Provérbios 28.13 “Quem encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e abandona alcançará misericórdia.”

Quando confessamos estamos desistindo do pecado, com desejo de o abandonar para sempre. A partir do momento em que confessamos nossos pecados e nos arrependemos, podemos experimentar o poder transformador do perdão. Passamos a detestar o que fizemos e não queremos mais, porque “confesso a minha iniquidade; suporto tristeza por causa do meu pecado” (Salmo 38.18), então agora o que antes nos dava prazer, produz aborrecimento.

Jesus ensinou a orar pedindo confessando pecados e pedindo para livrar da tentação (Mateus 6.9-13). Quando Jesus encontrou uma mulher pecadora, que seria apedrejada, o Senhor a perdoou, mas no final disse: “vá e não peques mais” (João 8.11). Isso nos ensina que após confessar, precisamos nos levantar e lutar para não repetir o erro (2Pedro 2.20-22).

Davi clamou a Deus para que lhe conceda de novo a alegria da salvação e a restauração de sua relação com o Senhor (Salmo 51.12). Deus é rico em misericórdia e deseja nos perdoar, limpar-nos de toda iniquidade e nos reconciliar consigo mesmo (Salmo 51.11). A confissão nos abre as portas para recebermos o perdão e a restauração que só pode vir de Deus (Salmo 51. 16,17).

Confesse seus pecados e abande a prática!

 

3. Confissão CURA

Tiago 1.16 “Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros, para que vocês sejam curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.

Quando reconhecemos nossos pecados, nos arrependemos sinceramente e buscamos o perdão e a cura de Deus, que está pronto para nos perdoar e nos restaurar, pois “se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça (1João 1.9). O perdão cura, por isso, Jesus ao curar pessoas enfermas, primeiro dizia: “seus pecados estão perdoados” (Lucas 5.20; 7.48; Marcos 2.5).

A confissão também passa por um momento de compartilhar com alguém pedindo ajuda. Por isso, Tiago ensina confessar uns aos outros, pois todos somos falhos e precisamos de ajuda. O mesmo texto diz antes que “a oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará. E, se houver cometido pecados, estes lhe serão perdoados (Tiago 5.15), mostrando que quando pedimos ajuda em oração, somos curados. O próprio Jesus ordenou ministrar cura e perdão de pecados (João 20.23).

Confessar uns aos outros também significa que devemos reconhecer o erro diante de quem prejudicamos, contra quem pecamos, como o filho pródigo que disse ao seu pai: “pequei contra Deus e diante do senhor” (Lucas 15.18) e Zaqueu, que se dispôs publicamente a assumir seu erro e restituir a quem prejudicou (Lucas 19.8). Jesus ensinou a procurar quem nos ofendeu para oferecer perdão e pedir perdão a quem ofendemos (Mateus 18.15-18).

Deus usou o profeta Natã para confrontar o rei Davi a confessar e buscar o arrependimento (2Samuel 12.1-13). Ao se arrepender, Davi pediu ao Senhor duas coisas: “CRIA em mim um coração puro e RENOVA um espírito inabalável” (Salmo 51.10). Primeiro precisamos que seja criando um coração novo, que na verdade não temos, mas recebemos ao nos converter, quando Deus diz: “tirarei deles o coração de pedra e lhes darei coração de carne (Ezequiel 11.19). Depois Deus renova o espírito que nos deu, quando soprou e criou o ser humano (Gênesis 2.7), enviando sobre nós o seu Espírito Santo, por isso Davi pede também que Deus não retire dele o seu Espírito (Salmo 51.11). Enquanto o Espírito Santo está em nós, nos ensina e nos ajuda a arrepender dos pecados (João 16.8-11).

Confesse seus pecados e receba cura!


Confesse seus pecados todos os dias!

Conclusão

Através da confissão, podemos experimentar a alegria da salvação e a cura de nossas almas. Portanto, todos precisamos desta prática espiritual tão importante e deixarem que o poder da confissão transforme suas vidas.

Crie a prática e disciplina de confessar seus pecados todos os dias, porque somos pecadores e sempre teremos algo para pedir perdão. A boa notícia é que Deus está sempre disposto a nos perdoar. Se você pecou contra alguém, peça a Deus que te ajude e te dê oportunidade de confessar e reconhecer. Depois abandone seus erros e seja livre para sempre.

Que sejamos como Davi, quebrantados e dispostos a expressar nossas fraquezas diante de Deus, confiando no seu amor e graça. Que o Senhor nos abençoe e nos ajude a caminhar na sinceridade e pureza de coração.

A confissão traz perdão e cura!

 

Rev. Welfany Nolasco Rodrigues

Pastor Metodista, professor e escritor. 44 anos. Casado com Ássima, pai de Heitor e Hadassa. Natural de Muriaé MG. Bacharel em Teologia pela UMESP.

Postagem Anterior Próxima Postagem

 pregações no whatsapp