Interpretando as Sete Igrejas do Apocalipse

-Tema: APOCALIPSE
Apocalipse 1.19
-Introdução: As Sete Cartas às Igrejas da Ásia Menor, fazem parte do primeiro conjunto de visões do Apocalipse. Com esta mensagem aprendemos que Jesus conhece as Igrejas e enviar seu recado para cada cristão.
Segundo o texto de Apocalipse 1.19, a revelação é para o PASSADO “as coisas que viste”, para o PRESENTE “as coisas que são” e para o FUTURO “as que hão de vir”. Por isso a validade desta mensagem é sempre atual, pois engloba a eternidade além do tempo humano.

Como interpretar as Sete Igrejas do Apocalipse?

Vamos aprender um método de interpretação Literal, Histórica e Moral das Sete Igrejas:

1- Interpretação LITERAL:

A primeira forma de ler o texto é de forma literal ou também pode ser de forma literária. Ou seja, o que diz o texto realmente? Estas sete igrejas existiram de verdade e precisamos entender o que acontecia naquele tempo nestas comunidades. Devemos estudar o texto como está e entender as suas palavras.
A estrutura do texto é semelhante em cada uma das sete cartas às Igrejas da Ásia Menor. Também existem expressões que se repetem em cada uma das cartas.
Estrutura literária das Sete Cartas:
a) APRESENTAÇÃO: começa se apresentando e indicando o destinatário que era o pastor da igreja.
b) ELOGIO: uma palavra de apoio pelo trabalho da igreja.
c) REPREENSÃO: correção aos erros da igreja e conselhos sobre como mudar.
d) PROMESSA: uma palavra de motivação para quem vencer.
Palavras-chave das Sete Cartas:
- AO ANJO DA IGREJA (Apocalipse 2.1; 2.8; 2.18; 3.1; 3.7 e 3.14): as sete vezes que esta expressão anjo é citada se referem aos pastores ou mensageiros das Igrejas de “Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia” (Apocalipse 1.11).
- ISTO DIZ ou ASSIM DIZ (Apocalipse 2.1; 2.8; 2.12; 2.18; 3.1; 3.7 e 3.14): Jesus começa sua mensagem se apresentando de uma forma diferente. Sete descrições sobre Jesus:
1- “aquele que tem na sua destra as sete estrelas, que anda no meio dos sete candeeiros de ouro” (Apocalipse 2.1).
2- “o primeiro e o último, que foi morto e reviveu” (Apocalipse 2.8).
3- “aquele que tem a espada aguda de dois gumes” (Apocalipse 2.12).
4- “o Filho de Deus, que tem os olhos como chama de fogo, e os pés semelhantes a latão reluzente” (Apocalipse 2.18).
5- “aquele que tem os sete espíritos de Deus, e as estrelas” (Apocalipse 3.1).
6- “o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre” (Apocalipse 3.7).
7- “o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o pricípio da criação de Deus” (Apocalipse 3.14).
- CONHEÇO AS TUAS OBRAS (Apocalipse 2.2; 2.9; 2.13; 2.19; 3.1; 3.8 e 3.15): com exceção da Igreja de Esmirna que Jesus disse: “conheço a tua tribulação” (Apocalipse 2.9) e da Igreja em Pérgamo que Jesus disse “conheço o lugar em que habitas” (Apocalipse 2.13), para as outras cinco Igrejas o Senhor Jesus disse “conheço as tuas obras”. Mas o sentido é sempre o mesmo, que Jesus sabe todas as coisas. Jesus conhece cada um de nós e cada uma das igrejas.
- QUEM TEM OUVIDOS PARA OUVIR OUÇA (Apocalipse 2.7; 2.11; 2.17; 2.29; 3.6; 3.13 e 3.22): ao final de cada mensagem Jesus abre o conteúdo da carta para todos os ouvintes de todos os tempos. Esta frase era muito dita por Jesus em suas parábolas (Mateus 11.15; 13.9 e 43), o que confirma sua identidade e seu jeito de falar. Além disso, era uma expressão comum na época com sentido de chamar atenção dos ouvintes.
- AO QUE VENCER ou AO VENCEDOR (Apocalipse 2.7; 2.11; 2.17; 2.26; 3.5; 3.12 e 3.21): ao final de cada mensagem, Jesus promete uma bênção especial para quem conseguir superar todas as dificuldades. As sete promessas ao vencedor:
     1- “comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus” (Apocalipse 2.7).
     2- “de modo algum sofrerá o dado da segunda morte” (Apocalipse 2.11 ).
     3- “darei do maná escondido, e lhe darei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe” (Apocalipse 2.17).
     4- “lhe darei autoridade sobre as nações” (Apocalipse 2.26).
     5- “será assim vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; antes confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos” (Apocalipse 3.5).
     6- “eu o farei coluna no templo do meu Deus, donde jamais sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, da parte do meu Deus, e também o meu novo nome” (Apocalipse 3.12).
     7- “eu lhe concederei que se assente comigo no meu trono” (Apocalipse 3.21).

Estudando estas palavras-chaves do texto e entendendo o formato das mensagens às sete Igrejas, facilita-se em muito a compreensão das Sete Cartas do Apocalipse. Estas mensagens demonstram uma simetria e um progresso do seu conteúdo.

ASSISTA:

2- Interpretação HISTÓRICA:

A segunda forma de entender as sete igrejas do Apocalipse é uma leitura com interpretação histórica. Não se pode ser preciso quanto ao tempo de cada uma das igrejas, mas podemos perceber fazes na história do cristianismo que se assemelham às Sete Igrejas do Apocalipse.
Este método possui várias correntes, bem como direções variadas. O fato é que podemos ver na história do cristianismo, momentos em que a Igreja de uma forma geral se portou como uma das sete igrejas citadas no Apocalipse.
As Sete Eras da Igreja Cristã1:
1- ÉFESO: Igreja Apostólica - 30 a 100 d.C.
2- ESMIRNA: Igreja perseguida -100 a 313 d.C.
3- PÉRGAMO: Igreja Imperial - 313 a 590 d.C.
4- TIATIRA: Igreja papal, idade Média - 590 a 1517 d.C.
5- SARDES: Igreja da Reforma e renascença - 1517 a 1730 d.C.
6- FILADELFIA: Igreja missionária, evangelística - 1730 a 1900 d.C.
7- LAODICÉIA: Igreja morna, apóstata, 1900 d.C. até a Segunda volta de Cristo.

Um sério problema da Interpretação Histórica é que muitas seitas se aproveitam deste método para dizer que o surgimento de sua religião é o “momento Filadélfia” e que atualmente estão enfrentando a “Laodicéia”, que seriam as outras religiões. Certamente, esta compreensão é equivocada porque nenhum texto bíblico pode ser usado para exaltar o ser humano ou qualquer organização religiosa.
Uma grande vantagem da Interpretação Histórica é que ajuda a compreender e estudar a história da Igreja Cristã. Este conhecimento histórico é muito produtivo e fortalece principalmente líderes que aprendem com os fatos ocorridos, sobre os erros já cometidos.

3- Interpretação MORAL:
A terceira forma de interpretar as sete igrejas do Apocalipse é de forma moral ou também atual. A interpretação moral nos chama a atenção para a aplicação prática da mensagem à cada uma das igrejas.
Principalmente devemos entender que nós somos a Igreja e o Corpo de Cristo (I Coríntios 12.27). Com isso, olhamos para nós mesmos como igreja e percebemos que precisamos obedecer à Palavra de Deus.
Sete lições que aprendemos com as Igrejas do Apocalipse:
1- ÉFESO: Voltar ao primeiro amor.
2- ESMIRNA: Suportar as tribulações.
3- PÉRGAMO: Perseverar na fé.
4- TIATIRA: Fugir do pecado.
5- SARDES: Buscar o verdadeiro avivamento.
6- FILADELFIA: Servir ao próximo com amor.
7- LAODICÉIA: Ser fervoroso espiritualmente.

Como o número sete é compreendido como símbolo da perfeição e de algo que seja completo, podemos entender que nestas sete características, conselhos até nos erros destas sete igrejas se encontram tudo o que precisamos saber sobre nossa conduta cristã.

Você é a Igreja!

-CONCLUSÃO:
As sete igrejas do Apocalipse podem ser entendidas de forma literal, entendendo o texto com suas palavras e os fatos ocorridos naquela época. Também podemos estudar de forma histórica para ver como a Igreja cristã caminhou através dos séculos e então de forma moral para os dias atuais e para cada um de nós.
Jesus manda uma carta para cada uma das igrejas e não despreza nenhuma delas. Reconhece as igrejas como suas e as ensina o que fazer para melhorar. Esta mensagem serve para todas as igrejas e cristãos de todos os tempos.
Releia as Sete Cartas do Apocalipse capítulos 2 e 3 com esta ótica analisando o texto como está e pesquisando o que acontecia na hora. Depois estude um pouco sobre a história do cristianismo e então faça uma aplicação prática para as igrejas atuais, os cristãos de modo geral e para sua vida.

Esta mensagem é de Jesus para você!

______________________________
1 DUCK, Daymond R. Guia fácil para entender o Apocalipse. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2014. Páginas 33 e 34.
Citações Bíblicas: Bíblia Revista e Atualizada, Sociedade Bíblica do Brasil.

Pr. Welfany Nolasco Rodrigues Publicado por Pr. Welfany Nolasco Rodrigues

Pastor Metodista e pregador do evangelho. Escritor de esboços e sermões.
Formação: Bacharel em Teologia pela UMESP - Universidade Metodista de São Paulo.
Pós Graduação em Filosofia pela ISEIB - Instituto Superior de Educação Ibituruna.
Licenciatura em Letras pela ISEED - Instituto Educacional Elvira Dayrell.
Extensão em Grego Bíblico pela MACKENZIE - CPAJ.
Siga Google+.

Um comentário:

  1. Meu prazer em meditar na Palavra de Deus é o grande segredo de quanto mais se fala mais se aprende como se o Espírito Santo de Deus nos recompensasse pela atenção que damos à aquilo que só nos faz o bem.

    ResponderExcluir

Deixe um comentário sobre o que achou desta pregação.
IDENTIFIQUE-SE por favor., colocando seu nome no comentário.
Muito obrigado por participar!

Quem sou eu

Minha foto

Tenho prazer em meditar na Palavra de Deus.
Escrevo textos e reflexões sobre as Escrituras.
Direitos autorais protegidos:
Protected by Copyscape Online Plagiarism Detector

Seguidores

Pregações por email

Livro

Livro
E-books do Pr. Welfany Nolasco
Powered by Blogger.