A Força do PENTECOSTES

-Tema: ESPÍRITO SANTO


Atos 2.1-4
“Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.”
Introdução: O poder de Deus é a força que move a Igreja através do Espírito Santo. Sem a presença do Senhor a Igreja não existiria. O que diferencia a Igreja de qualquer outro grupo é a direção do Espírito Santo que a fortalece e capacita. A Igreja foi oficialmente fundada no Pentecostes, cinquenta dias após a ressurreição de Jesus, quando o Espírito Santo foi derramado sobre os discípulos.


O que era o Pentecostes?

Vamos aprender mais sobre o Pentecostes e o poder do Espírito Santo sobre a Igreja.

1- A Festa de Pentecostes

Levíticos 23.15,16 “Contareis para vós outros desde o dia imediato ao sábado, desde o dia em que trouxerdes o molho da oferta movida; sete semanas inteiras serão. Até ao dia imediato ao sétimo sábado, contareis cinquenta dias; então, trareis nova oferta de manjares ao SENHOR.”
A Festa da Colheita acontecia cinquenta dias após a páscoa (Levítico 23.15,16), por isso o nome Pentecostes se refere ao quinquagésimo dia (penta = cinquenta). No Antigo Testamento esta comemoração era chamada de Festa das Primícias, Festa da Colheita ou Festa da Sega (Êxodo 34.22), quando todos levavam os primeiros frutos da colheita à Casa do Senhor (Êxodo 23.19).
O Espírito Santo veio no dia de Pentecostes realizando uma grande colheita espiritual 50 dias depois da morte de Jesus. Deus escolheu esta data tão significativa para enviar o Espírito Santo sobre a Igreja (Atos 2.1), realizando uma grandiosa festa de colheita de vidas para o Reino de Deus. Na Páscoa o verdadeiro Cordeiro de Deus se ofereceu pela humanidade (João 1.29) e no Pentecostes o poder do Espírito Santo fundou a Igreja colhendo “fruto do penoso trabalho” (Isaías 53.11) do sacrifício de Cristo na cruz.

2- O Espírito Santo no Antigo Testamento

Gênesis 1.2 “A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas.”
A presença de Deus estava sobre o universo antes da criação de todas as coisas. Foi através do poder do Espírito Santo que tudo foi criado pelo poder da Palavra de Deus (Hebreus 11.1-3).
Gênesis 2.7 “Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente”
O sopro de Deus formou o ser humano com seu Espírito. A palavra sopro é a mesma que espírito no hebraico bíblico (ruah). Deus nos criou para ser cheios do Espírito Santo.
Gênesis 6.3 “Então, disse o SENHOR: O meu espírito não agirá para sempre no homem, pois este é carnal; e os seus dias serão cento e vinte anos.”
Por causa do pecado, Deus disse que não permitiria que seu Espírito agisse na humanidade, devido à sua fragilidade diante do mal, tendo desobedecido a Deus e se tornado um ser corrupto (Gênesis 6.1,2).
I Samuel 3.1 “O jovem Samuel servia ao SENHOR, perante Eli. Naqueles dias, a palavra do SENHOR era mui rara; as visões não eram frequentes.”
Antes de ser derramado sobre a terra, a presença do Espírito Santo no tempo do Antigo Testamento era sobre uma pessoa de cada vez, como fez com Elias e depois sobre Eliseu (II Reis 2.1-8).

3- A razão do Pentecostes

Gênesis 11.4-9 “Disseram: Vinde, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo tope chegue até aos céus e tornemos célebre o nosso nome, para que não sejamos espalhados por toda a terra. Então, desceu o SENHOR para ver a cidade e a torre, que os filhos dos homens edificavam e o SENHOR disse: Eis que o povo é um, e todos têm a mesma linguagem. Isto é apenas o começo; agora não haverá restrição para tudo que intentam fazer. Vinde, desçamos e confundamos ali a sua linguagem, para que um não entenda a linguagem de outro. Destarte, o SENHOR os dispersou dali pela superfície da terra; e cessaram de edificar a cidade. Chamou-se-lhe, por isso, o nome de Babel, porque ali confundiu o SENHOR
a linguagem de toda a terra e dali o SENHOR os dispersou por toda a superfície dela.”
As línguas surgiram no mundo por causa do orgulho do ser humano em querer crescer e chegar até o céu, mas Deus impediu confundindo as línguas. A palavra Babel significa confusão. A Babilônia foi na região de Babel e significa a mesma coisa, representando a confusão religiosa do mundo (Apocalipse 14.8).
Atos 2.8 “E como os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna?”
O Pentecostes traz união e vence a confusão do mundo. A Igreja precisava do Espírito Santo para abençoar a humanidade com a Palavra de Deus. Todas as barreiras foram vencidas pelo poder do Espírito Santo no Pentecostes.
Atos 2.9-11 “Somos partos, medos, elamitas e os naturais da Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Ásia,
da Frígia, da Panfília, do Egito e das regiões da Líbia, nas imediações de Cirene, e romanos que aqui residem,
tanto judeus como prosélitos, cretenses e arábios.”
A confusão de Babel foi solucionada no Pentecostes, quando 15 povos de línguas diferentes alcançados e a Palavra de Deus foi ministrada em seus idiomas.

4- A promessa do Pentecostes

Joel 2.28,29 “E acontecerá, depois, que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões
até sobre os servos e sobre as servas derramarei o meu Espírito naqueles dias.”
Vários profetas foram usados por Deus para anunciar que o Espírito Santo seria derramado sobre toda a humanidade, para aqueles que creem no Senhor.
Atos 2.14-16 “Então, se levantou Pedro, com os onze; e, erguendo a voz, advertiu-os nestes termos: Varões judeus e todos os habitantes de Jerusalém, tomai conhecimento disto e atentai nas minhas palavras.
Estes homens não estão embriagados, como vindes pensando,
sendo esta a terceira hora do dia. Mas o que ocorre é o que foi dito por intermédio do profeta Joel”
O cumprimento da profecia de Joel foi reconhecido pelo apóstolo Pedro em sua pregação no dia de Pentecostes e eles também se lembraram que o próprio Jesus havia prometido enviar o seu Espírito.
Mateus 3.11 “Eu vos batizo com água, para arrependimento; mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu, cujas sandálias não sou digno de levar. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.”
João Batista foi o último profeta, findando o período em que o Espírito Santo usava uma pessoa de cada vez. João Batista anunciou que Jesus batizaria todos o que cressem com o fogo do Espírito Santo.
Mateus 3.16 “Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele”
Quando Jesus foi batizado o Espírito Santo desceu sobre ele para nos dar exemplo de que precisamos do poder de Deus em nossas vidas. A partir do ministério de Cristo o mesmo Espírito de Jesus seria derramado sobre a Igreja.

5- Jesus envia o seu Espírito

Lucas 24.49 “Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder.”
O Espírito Santo que estava sobre Jesus vem sobre nós enviado por Deus que restaura a humanidade à seu propósito inicial que é viver em sua presença.
João 14.16 “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro consolador, a fim de que esteja para sempre convosco”
Jesus prometeu seu Espírito, o Consolador que é o companheiro enviado por Deus para nós. A promessa de Jesus se cumpriu no dia de Pentecostes quando estavam trancados e com medo, mas foram cheios de autoridade e poder.
João 20.22 “E, havendo dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: recebei o Espírito Santo.”
De onde veio aquele vento? Da boca de Jesus quando soprou sobre eles uma semana antes do Pentecostes (Atos 2.1,2). Da mesma forma que Deus soprou vida ao criar o ser humano, Jesus também sobre sua Igreja criando um novo tempo. A Igreja estava com as portas trancadas no cenáculo com medo, e Jesus entrou ali para enviar sobre eles o Espírito Santo (João 20.26).
Atos 1.8 “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra”
Jesus enviou os seus discípulos e os capacitou com o Espírito Santo para anunciar o evangelho em toda o mundo através do poder de Deus, realizando os sinais da fé (Marcos 16.17).

6- Os dons no Pentecostes

Atos 2.3 “E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles.
O poder do Espírito Santo foi derramado capacitando a Igreja. Os discípulos eram pessoas simples e sem estudos, mas foram preparados com o poder de Deus para fazer a sua obra.
Dois tipos de línguas:
Glossolalia: Línguas desconhecidas, uma linguagem espiritual (I Coríntios 14.1-6).
Xenolália: Línguas humanas faladas por outros povos (Atos 2.1-8).
O tipo de línguas que se manifestou no dia de Pentecostes foi a xenolália, quando os discípulos falaram de forma sobrenatural as línguas de outros povos que estavam em Jerusalém para a festa (Atos 2.9-11).
I Coríntios 14.2 “Pois quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.”
O dom de línguas faz parte dos dons espirituais concedidos pelo Espírito Santo àqueles que são revestidos de poder de Deus. Deus usa cada pessoa de uma forma única capacitando com sua unção, pois “os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo” (I Coríntios 12.4). Cada membro do corpo de Cristo tem um dom especial de Deus para fazer a sua obra (I Coríntios 12.28-31).
Efésios 4.8 “Por isso, diz: Quando ele subiu às alturas, levou cativo o cativeiro e concedeu dons aos homens.”
O dom do Espírito Santo é derramado sobre a Igreja capacitando com poder para vencer o pecado e realizar a vontade do Senhor sobre a terra, ganhando vidas para Deus.

7- O pentecostes nos últimos dias

Apocalipse 7.2,3 “Vi outro anjo que subia do nascente do sol, tendo o selo do Deus vivo, e clamou em grande voz aos quatro anjos, aqueles aos quais fora dado fazer dano à terra e ao mar, dizendo: Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até selarmos na fronte os servos do nosso Deus.”
Antes da marca da besta, Deus selará os seus escolhidos com o seu Espírito Santo, protegendo-os de todo mal (Apocalipse 9.3-6). O Selo de Deus é a presença do Espírito Santo na vida de quem serve ao Senhor de todo o seu coração, sendo separado do mundo para cumprir a vontade do Senhor.
Marcos 13.10,11 “Mas é necessário que primeiro o evangelho
seja pregado a todas as nações. Quando, pois, vos levarem e vos entregarem,  não vos preocupeis com o que haveis de dizer, mas o que vos for concedido naquela hora, isso falai; porque não sois vós os que falais, mas o Espírito Santo.”
Antes da volta de Jesus acontecerá um grande avivamento, um novo Pentecostes, derramando poder sobre a Igreja para alcançar o mundo com a Palavra de Deus. O poder do Espírito Santo permanece sobre sua Igreja, pois Deus ainda é o mesmo e sempre será (Hebreus 13.8). O fim dos tempos será marcado por milagres sobrenaturais através da Igreja anunciando a volta do Senhor Jesus.

Receba o Espírito Santo!

CONCLUSÃO

A presença do Espírito Santo é indispensável para a Igreja, pois sem o Espírito de Deus não há vida, não há poder e sem a sua presença não existe a Igreja. Precisamos buscar a mesma unção e poder que foi derramada sobre os discípulos no dia de Pentecostes e voltar á originalidade da Igreja Primitiva através da direção do mesmo que os impulsionou: o Espírito Santo.
O Pentecostes continua...
______________________________

Citações Bíblicas: Bíblia Revista e Atualizada, Sociedade Bíblica do Brasil.

#pregação #EstudoBíblico #Pentecostes #EspíritoSanto

Siga-nos nas redes sociais:







Amazon: amazon.com/author/welfanynolasco

Oferte abençoando este ministério:

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Agência 4386 - Operação 001 - Conta 22027-1

BANCO DO BRASIL
Agência 5890-4 - Conta Corrente 1415-x

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.