Restaurando o mundo pela oração

COMPARTILHE:

2 comentários

Daniel 9.3-19
-IntroduçãoTemos vivido num mundo turbulento onde todos os instantes ocorrem tragédias. Os problemas são incontáveis, ninguém está satisfeito e quase não há esperança de uma restauração mundial.
“Voltei o rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, pano de saco e cinza” (v.3).
O que todos perguntam é: O que fazer? Na época em que Daniel viveu na Babilônia, ele passou por uma situação parecida com a nossa. E Daniel foi usado por Deus ara livrar Israel da calamidade do cativeiro através da oração e jejum.

Você tem orado pela nação?

Vamos observar como Daniel orou ao Senhor por Israel analisando o que é preciso para nossa rua, bairro, cidade, nação e mundo sejam restaurados:

I - Identificar a causa do problema:

Segundo II Crônicas 36.21 o povo ficou cativo na Babilônia “para que se cumprisse a palavra do SENHOR, por boca de Jeremias, até que a terra se agradasse dos seus sábados; todos os dias da desolação repousou, até que os setenta anos se cumpriram”.
O motivo da triste situação do mundo é o pecado de não ouvir e não obedecer a Deus.
v. 6: e não demos ouvidos aos teus servos, os profetas, que em teu nome falaram aos nossos reis, nossos príncipes e nossos pais, como também a todo o povo da terra.
v. 10: e não obedecemos à voz do SENHOR, nosso Deus, para andarmos nas suas leis, que nos deu por intermédio de seus servos, os profetas.
v. 16: Ó Senhor, segundo todas as tuas justiças, aparte-se a tua ira e o teu furor da tua cidade de Jerusalém, do teu santo monte, porquanto, por causa dos nossos pecados e por causa das iniquidades de nossos pais, se tornaram Jerusalém e o teu povo opróbrio para todos os que estão em redor de nós.
Deus sempre nos avisou tudo antes das conseqüências e antes de pecarmos. Todos sabem que o pecado traz o mal.
É por causa do pecado que tem aumentado o índice de mortes (Romanos 6.23). Deus nos avisa para não pecarmos porque nos ama e não quer nos ver sofrer. Mas por não ouvir a voz do Senhor e não cumprir, Deus tem que cumprir o que Ele falou e nos castigar (v.12).

II – É preciso sensibilidade:

Os filmes, carnaval e cenas de sexo e violência são um treinamento para insensibilidade muito perigoso que inibe nossa capacidade de ser solidário com o sofrimento alheio e nos acostuma com o pecado.
Às vezes nos tornamos insensíveis perante a situação do mundo e mesmo diante do sofrimento não clamamos ao Senhor.
v.13: “Como está escrito na Lei de Moisés, todo este mal nos sobreveio; apesar disso, não temos implorado o favor do SENHOR, nosso Deus, para nos convertermos das nossas iniquidades e nos aplicarmos à tua verdade”.
Às vezes pedimos socorro na hora da tribulação, mas não clamamos com intuito de mudar de vida.
Também não podemos falar mal de nossa cidade, temos que ter sensibilidade para interceder. É preciso orar e não amaldiçoar.
Daniel tinha influência para reclamar, para opinar com o rei, mas preferiu resolver o problema com Deus.

III – É preciso arrependimento:

Para isso devemos nomear os pecados perante Deus como fez Daniel.
v.7-9: “A ti, ó Senhor, pertence a justiça, mas a nós, o corar de vergonha, como hoje se vê; aos homens de Judá, os moradores de Jerusalém, todo o Israel, quer os de perto, quer os de longe, em todas as terras por onde os tens lançado, por causa das suas transgressões que cometeram contra ti. Ó SENHOR, a nós pertence o corar de vergonha, aos nossos reis, aos nossos príncipes e aos nossos pais, porque temos pecado contra ti. Ao Senhor, nosso Deus, pertence a misericórdia e o perdão, pois nos temos rebelado contra ele”.
Daniel definiu:
A Deus pertence: justiça, a misericórdia e o perdão
A nós pertence: o corar de vergonha
Imagine uma situação em que ‘corou de vergonha’. Quando sente vergonha você volta a fazer tal coisa? Corar de vergonha é ARREPENDER-SE!
Daniel era um homem íntegro, reconhecido como servo de Deus e em Daniel 5.12 e 6.3 o rei e a rainha-mãe dizem que Daniel tinha um “espírito excelente”. Ter espírito excelente é muito mais que ser boa pessoa. É ser ótimo, quase perfeito, distinto...
Mesmo sendo um homem de “espírito excelente”, Daniel ‘corou de vergonha’ por causa dos pecados da nação.
Precisamos ter vergonha além dos nossos pecados pessoais também dos coletivos.
Daniel nomeou os pecados:
REBELDIA: v.5: ...fomos rebeldes, apartando-nos dos teus mandamentos e dos teus juízos;
DESPRESO: v.6: e não demos ouvidos aos teus servos, os profetas,
DESOBEDIÊNCIA: v.10: e não obedecemos à voz do SENHOR,
NÃO ORAR: v.13b: ... apesar disso, não temos implorado o favor do SENHOR,
Daniel foi humilde e não acusou ninguém, antes se incluiu entre os pecadores (veja os verbos sempre na 1ª pessoa do plural). Nós muitas vezes não temos vergonha estamos insensíveis.

IV – É preciso Intercessores:

As maiores decisões do mundo não são tomadas nos congressos, palácios, reuniões da ONU ou outros, mas nos quartos fechados dos intercessores em oração.
Deus busca intercessores na terra: Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante mim, a favor desta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei. Ezequiel 22.30.
Veja a oração de Daniel por Jerusalém:
v.18: Inclina, ó Deus meu, os ouvidos e ouve; abre os olhos e olha para a nossa desolação e para a cidade que é chamada pelo teu nome, porque não lançamos as nossas súplicas perante a tua face fiados em nossas justiças, mas em tuas muitas misericórdias.
v. 19: Ó Senhor, ouve; ó Senhor, perdoa; ó Senhor, atende-nos e age; não te retardes, por amor de ti mesmo, ó Deus meu; porque a tua cidade e o teu povo são chamados pelo teu nome.
O versículo 19 diz três verbos chave para a intercessão profética: ouve, perdoa, atende. São três coisas que Daniel pediu a Deus. E Deus ouviu a confissão, perdoou os pecados e atendeu a oração de Daniel os livrando do mal.

V – É preciso Discernimento espiritual:

Estamos em GUERRA. Daniel 10.12,13
Então, me disse: Não temas, Daniel, porque, desde o primeiro dia em que aplicaste o coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, foram ouvidas as tuas palavras; e, por causa das tuas palavras, é que eu vim. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; porém Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu obtive vitória sobre os reis da Pérsia.
Daniel não foi lançado na cova dos leões apenas porque orava, mas pelo motivo que orava que era a restauração de Jerusalém (Daniel 6.10).
Da primeira vez que Daniel orou, Deus enviou a resposta através de um anjo. Muitas vezes a resposta já foi enviada por Deus, mas o diabo luta ara essa resposta não chegar até você. Portanto temos que permanecer orando para que sejam enviados mais anjos a guerrear a nosso favor.
Como o anjo disse: por causa das tuas palavras, é que eu vim (v.12c).
Deus ouve todas as palavras que falamos e nos ajuda por causa delas. Quando oramos, um anjo é enviado a guerrear a nosso favor, mas quando murmuramos damos brecha ara demônios que lutam contra nós.
A batalha foi travada: Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias v.13. Existem espíritos malignos enviados contra locais específicos e são chamados espíritos territoriais. No caso do texto era um demônio que agia sobre a Pérsia e queria manter cativo o povo de Deus. São tipos de padroeiros do local. Por isso existem lugares que predomina prostituição, outros vícios, mentira, idolatria, etc.
Os espíritos territoriais agem de acordo com suas características próprias, exemplo, um espírito de prostituição fará com que no território em que trabalha haja muita prostituição. Então através do problema do lugar identificamos as características e o espírito territorial.
Uma tarefa desses demônios territoriais é impedir as respostas às orações do povo de Deus.
Portanto precisamos orar para que nas regiões celestiais os anjos vençam a nossa luta. E aqui na terra, enquanto há guerra no céu por nossa causa, devemos agir de forma que não demos brecha para satanás. Conseguimos inibi-lo através de nosso testemunho, união e santidade.

-Conclusão:
O mundo está numa situação terrível por causa do pecado.
Deus precisa de pessoas sensíveis.
Deus está procurando intercessores.
Temos que nos envergonhar diante da situação desse mundo e nos arrepender, confessar o pecado da rebeldia, omissão e murmuração.
Vamos buscar ter um espírito excelente para sermos luz levando o amor do Senhor onde estivermos. Ore como Daniel “faze resplandecer o rosto do teu servo por amor do Senhor” v. 17c.
Como o de Daniel e guerrear com os anjos de Deus contra os demônios territoriais.
-Aplicação:
Pense sobre a situação da nossa cidade, do seu bairro ou rua.
Lembre-se das vezes que você amaldiçoou ou murmurou do governo.
Se arrependa de quando se omitiu numa situação em que podia ajudar a sociedade.
Peça ao Senhor perdão e procure corar de vergonha, clame ao Senhor para que os espíritos territoriais sejam derrotados.

Pr. Welfany Nolasco Rodrigues Publicado por Pr. Welfany Nolasco Rodrigues

Pastor Metodista e pregador do evangelho. Escritor de esboços e sermões. Formação: Bacharel em Teologia pela UMESP.
Siga Google+.

2 comentários:

  1. poucos pastores estão preocupados com o hábito indispensável de orar, como lemos em seus esboços sobre oração, oração é uma necessidade. continue orando e ensinado a orar. Que o Senhor te galardoe pelas boas oras.

    ResponderExcluir
  2. Como o de Daniel e guerrear com os anjos de Deus contra os demônios territoriais.
    Poderias ajeitar essa parte, achi que está faltando uma palavra nessa frase.

    ResponderExcluir

Deixe um comentário sobre o que achou desta pregação.
IDENTIFIQUE-SE por favor., colocando seu nome no comentário.
Muito obrigado por participar!

Quem sou eu

Minha foto

Tenho prazer em meditar na Palavra de Deus.
Escrevo textos e reflexões sobre as Escrituras.
Direitos autorais protegidos:
Protected by Copyscape Online Plagiarism Detector

Seguidores

Pregações por email

Livro

Livro
E-books do Pr. Welfany Nolasco
Powered by Blogger.