Carta à Igreja de Esmirna no Apocalipse - Pregações e Estudos Bíblicos

Carta à Igreja de Esmirna no Apocalipse

Tema: APOCALIPSE


Apocalipse 2.8-11
Introdução: A igreja de Esmirna foi marcada pela perseguição e os cristãos tiveram seus bens confiscados e por isso eram muito pobres1. Muitos foram presos e mortos numa intensa perseguição. Esta igreja nos ensina sobre perseverança em meio ao sofrimento. Sua fidelidade a Deus era incondicional.
A cidade de Esmirna, onde hoje é a cidade de Izmir na Turquia, era próspera, possuía um grande mercado público de três andares e lá aconteciam jogos olímpicos em que os vencedores recebiam coroas de ouro. Mas a cidade sofreu vários terremotos e sempre se reconstruía.

Qual a mensagem da Igreja de Esmirna?


Vamos aprender sobre a carta à Igreja de Esmirna pelo método literal, histórico e moral:

1- Interpretação LITERAL

Análise literária
Esmirna = Mirra.
Pastor: Policarpo, conhecido como ‘Policarpo de Esmirna’2.
ELOGIO: Suportou o sofrimento.
INSTRUÇÃO: Fidelidade até a morte. Não foi exortada.
PROMESSA: A coroa da vida e não sofrer a segunda morte.
O nome Esmirna significa cheiro suave por causa das plantações de mirra e amargura pelo sabor.

Palavras-chave do texto
- TRIBULAÇÃO (v.9 e 10): perseguição aos cristãos;
- POBREZA (v.9): seus bens foram confiscados;
- JUDEUS (v.9): seguidores da lei que estavam na igreja;
- SINAGOGA DE SATANÁS (v.9): tribunais judaicos;
- DEZ DIAS (v.10): simboliza anos ou tempos (Daniel 11.13);
- COROA DA VIDA (v.10): prêmio olímpico, vida eterna;
- SEGUNDA MORTE (v.11): morte espiritual (Mateus 10.28).

Policarpo, pastor de Esmirna foi cozido vivo dentro de um bezerro de latão e não negou a Cristo. Disse: "Por oitenta e seis anos eu O servi e Ele nunca me fez mal. Como posso blasfemar meu Rei, o qual me salvou?3". 

A Igreja de Esmirna foi elogiada por Jesus porque suportou o sofrimento e não recebeu nenhuma repreensão, apenas foram aconselhados a perseverar firmes até a morte, com a promessa de receber a coroa da vida e não sofrer a segunda morte. Quando Jesus fala da morte é porque os cristãos de Esmirna enfrentavam a morte constantemente.

2- Interpretação HISTÓRICA

Esmirna representa a Igreja Perseguida: entre 100 a 312 d.C. Este tempo foi conhecido como a ‘Era dos Mártires’, em que muitos cristãos morreram por sua fé.
Dez imperadores perseguiram a igreja: Nero (54-68 d.C.); Domiciano (81-96 d.C); Trajano (98-117 d.C.); Marco Aurélio (161-180 d.C.); Severo (193-211 d.C.); Maximino (235-238 d.C.); Décio (249-251 d.C.); Valeriano (253-260 d.C.); Aureliano (270-275 d.C.); Diocleciano (284-305 d.C.) 4.
O imperador Domiciano se considerava um deus e perseguiu os cristãos por cerca de dez anos especialmente aos fiéis de Esmirna que se destacavam por sua entrega.
Tanto os dez períodos de perseguições, como os dez anos de perseguição por Domiciano podem ser entendidos como o cumprimento dos dez dias referidos no versículo 10.

3- Interpretação MORAL

Esmirna representa os cristãos que são perseguidos. A Igreja Perseguida é sofredora por ser fiel a Deus (I Timóteo 3.12). Muitas vezes a igreja sofre perseguições internas e externas, de duas formas: institucional ou até física (Marcos 13.11-13).
Enquanto nós temos liberdade para realizar a obra de Deus, em vários países a pregação do evangelho é proibida. A Igreja Perseguida hoje: cerca de 20 cristãos são mortos por dia, num total de 7.300 mártires por ano5.

Seja uma Igreja Perseverante!

CONCLUSÃO

Ainda hoje existe a Igreja Perseguida. Cristãos são proibidos de pregar o evangelho em muitas nações. Mas até mesmo dentro das igrejas existe a perseguição. Jesus disse que seria para nós uma honra ser perseguidos como Ele foi (Mateus 5.11,12).

Verdadeiros cristãos são perseguidos!


Baixe o SLIDE: Carta à Igreja de Esmirna no Apocalipse


______________________________
1 DUCK, Daymond R. Guia fácil para entender o Apocalipse. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2014. Página 38.
2 RODRIGUES, Welfany Nolasco. A Evangelização na Igreja Primitiva. Belo Horizonte: Filhos da Graça, 2015. Página 19.
3 BERCOT, David W. Que falem os primeiros cristãos. São Paulo: Literatura Monte Sião do Brasil, 2013. Página 2.
4 FOX, John. O livro dos mártires. 9. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. Páginas 07 a 37.
5 http://www.ihu.unisinos.br/noticias/525524-estatisticas-de-uma-guerra-global-contra-os-cristaos
Citações Bíblicas: Bíblia Revista e Atualizada, Sociedade Bíblica do Brasil.

Tecnologia do Blogger.